PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Fed e Petrobras garantem melhor semana do Ibovespa desde 2021

29/07/2022 17h45

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em alta nesta sexta-feira, assegurando o melhor desempenho semanal desde março de 2021, embalado principalmente pela disparada das ações da Petrobras, que atingiram máximas históricas após forte resultado trimestral.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa subiu 0,55%, a 103.164,69 pontos, acumulando uma elevação de 4,29% na semana. No mês, valorizou-se 4,69%.

O volume financeiro no pregão desta sexta-feira somou 31,6 bilhões de reais, acima da média diária de julho, de 21,2 bilhões, com o pregão também marcado por tradicionais ajustes de final de mês.

No melhor momento do dia, o Ibovespa encostou nos 104 mil pontos, endossado em parte pela desaceleração da baixa de Vale, mas perdeu o fôlego conforme a mineradora voltou a ampliar a perda, ainda enfraquecida pelo resultado do segundo trimestre.

Wall Street corroborou o avanço na bolsa paulista, com o S&P 500 subindo 1,42%, após projeções otimistas de Apple e Amazon, assim como esperanças de um aperto monetário menos agressivo nos Estados Unidos.

Na visão de Pedro Menezes, membro do comitê de investimento de ações e sócio da Occam Brasil Gestão de Recursos, a bolsa paulista encontrou suporte nesta semana na sinalização mais "dovish" do Fed, com Petrobras consolidando o movimento.

Na última quarta-feira, o chair do banco central norte-americano, Jerome Powell, disse que provavelmente será apropriado desacelerar o ritmo das altas à medida que os juros se tornarem mais restritivos.

Além disso, acrescentou Menezes, as empresas nos Estados Unidos têm mostrado bons resultados, fortalecendo Wall Street e beneficiando o pregão brasileiro.

No Brasil, a temporada de balanços continua com uma série de divulgações na próxima semana, incluindo os números de Bradesco, Lojas Renner e Ultrapar.

DESTAQUES

- PETROBRAS ON avançou 5,8%, a 34,15 reais, e PETROBRAS PN subiu 6,4%, a 36,96 reais, ambas cotações recordes de fechamento. O lucro da companhia subiu para 54,33 bilhões de reais no segundo trimestre, enquanto o resultado operacional medido pelo Ebitda ajustado totalizou 98,26 bilhões. Os papéis também continuaram refletindo o anúncio sobre dividendos da véspera.

- VALE ON caiu 1,33%, a 69,75 reais, após queda de 18% no lucro do segundo trimestre, sob impacto de preços menores do minério de ferro. O Ebitda ajustado, porém, caiu pela metade. A mineradora também anunciou pagamento 16,2 bilhões de reais em dividendos.

- HYPERA PHARMA ON subiu 5,2%, a 42,59 reais, na esteira de balanço trimestral com lucro 456 milhões de reais de abril a junho - queda de 3,1% ano a ano, mas acima das expectativas do mercado. O Ebitda de operações continuadas do grupo farmacêutico cresceu 15,4%. A farmacêutica também disse acreditar que os ganhos de participação de mercado adquiridos no segundo trimestre são sustentáveis.

- MULTIPLAN ON caiu 3,25%, a 23,80 reais, mesmo após o lucro da companhia de shopping centers saltar 84% no segundo trimestre. No período, houve também uma disparada de 164,5% das despesas financeiras, a 94,4 milhões de reais, com reflexo de juros maiores sobre a dívida.

- USIMINAS PNA cedeu 4,8%, a 8,61 reais, na sequência do resultado do segundo trimestre, com declínio de 77% do lucro, para 1 bilhão de reais. A siderúrgica também estimou vendas de aço no terceiro trimestre menores que o volume reportado no segundo trimestre e que espera retomar operações no alto-forno 2 em Ipatinga até outubro.

- ECORODOVIAS ON subiu 2%, a 5,69 reais, mesmo após a concessionária de infraestrutura divulgar prejuízo líquido de 7 milhões de reais de abril a junho, ante lucro de 127,4 milhões um ano antes, em desempenho afetado pelo fim dos contratos da Ecocataratas e da Ecovia Caminho do Mar, em novembro passado.

- AMERICANAS ON caiu 7,2%, a 14 reais, com varejistas entre os destaques negativos na sessão, refletindo ajustes após um mês positivo para o setor. MAGAZINE LUIZA ON recuou 5,15% e VIA ON cedeu 4,4%. No mês, esses papéis subiram 4,2%, 10,3% e 25%, respectivamente.

- BRASKEM PNA avançou 5%, a 36,69 reais, acelerando a alta no final após nova notícia do Valor Econômico de que a petroquímica recebeu propostas de aquisição parcial ou integral.