IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Engie Brasil deve segurar decisão sobre novos projetos diante de preços baixos

17/02/2023 11h48

SÃO PAULO (Reuters) - A Engie Brasil deverá segurar decisões de investir em novos projetos de geração diante do cenário de preços baixos da energia, disse nesta sexta-feira o presidente-executivo da companhia, Eduardo Sattamini.

"Temos um pipeline de 1,8 GW em projetos complementares aos já existentes... Temos uma vantagem comercial futura, mas no ambiente de baixos preços a gente deve provavelmente retardar um pouco as tomadas de decisões, esperar que o mercado se regularize para que a gente possa executar esses projetos greenfield", apontou o executivo em teleconferência de resultados.

A elétrica está atualmente construindo dois projetos renováveis no Nordeste.

Os preços de energia de curto a longo prazo no Brasil têm sido pressionados pelas chuvas abundantes e pela perspectiva de excesso de oferta de energia. Isso tem afetado todas as geradoras, tanto aquelas que comercializam energia existente de seu portfólio, quanto as que tentam tirar novas usinas do papel por meio de contratos de longo prazo.

Segundo Sattamini, no curto e médio prazos a companhia está em situação confortável para enfrentar cenário desafiador, uma vez que seu portfólio de ativos está altamente contratado a "bons preços" para os próximos anos.

"Mas preocupa olhar para frente e ver hoje preços no mercado... abaixo do custo marginal de expansão (do sistema elétrico)."

Diante desse cenário, ele apontou que a via de crescimento de portfólio mais provável para a Engie Brasil serão as aquisições.

"Se quisermos continuar crescendo e usando capital, a geração de caixa disponível, devemos buscar algum tipo de aquisição que a gente possa gerar valor, utilizar sinergias com nossos ativos", disse.

Questionado sobre o interesse na compra de ativos de transmissão de energia, o executivo disse que a companhia também olha esse tipo de negócio, mas que não consegue ser tão competitiva quanto outros "players".

(Por Letícia Fucuchima)