IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Credit Suisse pagou parte da liquidez de emergência, sugerem dados do BC suíço

11/04/2023 12h29

Por John Revill

ZURIQUE (Reuters) - Dados divulgados nesta terça-feira sugerem que o Credit Suisse já pagou parte da liquidez de emergência oferecida pelo Banco Nacional Suíço (SNB), sinalizando um declínio na crise de liquidez que desencadeou a quebra do banco.

Os depósitos à vista - dinheiro mantido pelos bancos comerciais durante a noite no SNB - caíram 31 bilhões de francos suíços (34,3 bilhões de dólares) na semana passada, de acordo com dados publicados pelo banco central da Suíça.

O declínio é a segunda maior queda semanal já registrada, perdendo apenas para quando o SNB começou a enxugar a liquidez do mercado depois de abandonar as taxas de juros negativas em setembro do ano passado.

Nas últimas semanas, os depósitos à vista dispararam à medida que o Credit Suisse recebia injeções emergenciais de liquidez para evitar uma corrida aos bancos enquanto clientes nervosos sacavam seu dinheiro.

O banco disse no mês passado que pretende tomar emprestado até 50 bilhões de francos do SNB em uma última tentativa de se salvar depois que a confiança evaporou após uma série de erros.

Após a aquisição pelo rival UBS, patrocinada pelo governo suíço, outros 200 bilhões de francos em liquidez também foram disponibilizados pelo SNB.

Como resultado, os depósitos à vista subiram de 515 bilhões de francos em meados de março para um pico de 567 bilhões de francos à medida que o SNB depositou o dinheiro no Credit Suisse, uma tendência ascendente que foi revertida na semana passada, quando os depósitos à vista caíram para 532 bilhões de francos.

O Credit Suisse, o SNB e o UBS se recusaram a comentar sobre o assunto.

Karsten Junius, economista da J.Safra Sarasin, disse que a queda pode ser atribuída ao Credit Suisse ter reembolsado parte da liquidez de emergência que tomou e não precisar mais recorrer ao apoio do banco central.

"A confiança no banco foi restaurada pela fusão com o UBS e, a partir desses dados, parece que as retiradas de clientes pararam", disse Junius.

"Uma corrida aos bancos foi interrompida pelo SNB intervindo e oferecendo liquidez massiva, e os clientes estão tranquilizados pela presença do UBS também. As linhas de crédito de outros bancos também parecem ter sido restabelecidas."

O banco central suíço também pode ter atuado nos mercados de câmbio, vendendo algumas de suas moedas estrangeiras para sustentar o franco, uma atividade que teria levado a uma queda nos depósitos à vista, já que o SNB recebeu francos dos bancos comerciais em troca, mas isso seria improvável.

"É extremamente improvável que o SNB tenha vendido mais de 30 bilhões de moedas estrangeiras apenas na última semana", disse Junius. "A confiança foi restaurada - o resgate parece ter funcionado. Parece ter sido uma operação bem-sucedida."