IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Ibovespa fecha dia no vermelho, mas tem melhor semana de 2023

14/04/2023 17h06

Por Andre Romani

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa fechou em leve queda nesta sexta-feira, alinhado com Wall Street, mas garantiu, ainda assim, a maior alta semanal de 2023 após um IPCA de março abaixo do esperado elevar a perspectiva de um corte na taxa de juros do país antes do previsto.

Vale, diante da queda do minério de ferro, e Rede D'Or, que teve recomendação cortada pelo Goldman Sachs, foram as maiores pressões negativas no pregão. Itaú Unibanco e Petrobras ficaram no lado contrário.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,17%, a 106.279,37 pontos. Na semana, o índice acumulou alta de 5,41%, a maior desde dezembro de 2022.

O volume financeiro na sessão somou 21,3 bilhões de reais.

Autoridades brasileiras fizeram diversas declarações nesta sexta-feira, no encerramento de viagem de comitiva do governo à China, incluindo do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, e o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas as falas não geraram movimentos relevantes na bolsa, que seguiu a onda externa.

Também foi vista certa correção dos movimentos do início da semana, segundo agentes de mercados ouvidos pela Reuters, à medida que até quarta-feira, a bolsa havia subido 6%.

"O que aconteceu nesta semana foi uma descompressão de risco", disse Eduardo Carlier, co-diretor de gestão da Azimut Brasil Wealth Management, citando o IPCA abaixo do esperado na terça-feira --quando o Ibovespa subiu mais de 4%-- como o principal fator.

A elevação de 0,71% dos preços em março, contra expectativa dos analistas de 0,78%, elevou a expectativas de que o Banco Central corte a Selic, atualmente em 13,75% ao ano, antes do que era esperado, com algumas apostas apontando para possibilidade de redução já no começo do segundo semestre.

Carlier mencionou que uma leitura positiva da proposta de arcabouço fiscal, ao menos frente ao que era esperado inicialmente, e uma perspectiva de que o ciclo de alta de juros do Federal Reserve (Fed) pode estar próximo do fim, também ajudaram o Ibovespa na semana.

Porém, ele afirmou que ainda é cedo para determinar se isso é uma tendência. "O cenário de médio e longo prazo inspira cautela", acrescentou, citando a necessidade de mais informações quanto ao arcabouço e dúvidas em relação a temas como a Lei das Estatais.

Em Wall Street, dados mistos da economia norte-americana, com vendas do varejo mais fracas e produção industrial acima das expectativas, adicionaram incerteza e cautela, enquanto lucros acima do esperado de JPMorgan, Citi e Wells Fargo ajudaram a limitar as perdas.

DESTAQUES

- VALE ON caiu 0,88%, a 78,81 reais, terceira queda seguida, diante de novo recuo do minério de ferro na Ásia. O contrato da commodity mais negociado para setembro na bolsa de Dalian, na China, encerrou as negociações diurnas com queda de 0,8%, a 768,50 iuanes (112,30 dólares) a tonelada.

- CSN ON recuou 7,35%, a 14,49 reais, maior perda do dia, após o Goldman Sachs rebaixar a recomendação da ação a "venda", citando expectativa de resultados mais fracos a partir do segundo semestre e maior alavancagem. No setor, GERDAU PN subiu 0,81% e USIMINAS PNA caiu 1,57%.

- REDE D'OR ON caiu 6,02%, a 22,18 reais, após o Goldman Sachs cortar a recomendação do papel para "neutra".

- CIELO ON exibiu avanço de 2,83%, a 5,08 reais, quarta sessão seguida de alta.

- BRASKEM PNA subiu 2,16%, a 20,8 reais, após o UBS BB elevar a recomendação da ação a "compra", à medida que os analistas do banco enxergam o papel com um "valuation" descontado após queda nos últimos meses.

- PETROBRAS PN ganhou 1,04%, a 26,3 reais, quinto avanço consecutivo, em sessão de alta de 0,3% do petróleo Brent. No setor, PRIO ON aumentou 0,47% e 3R PETROLEUM ON cedeu 0,45%, esta após divulgar dados de produção de março na noite da véspera.

- ITAÚ UNIBANCO PN avançou 1,44%, a 26,01 reais, em dia majoritariamente positivo para grandes bancos, ainda que BRADESCO PN tenha caído 0,14%, a 13,79 reais.

- MARISA LOJAS ON, que não está no Ibovespa, disparou 11,69%, a 0,86 real, após a empresa captar cerca de 90 milhões de reais com controladores por meio de emissões de debêntures com colocação privada. A varejista já havia anunciado o aporte pelos controladores, mas não tinha dito de que forma a operação seria feita.