IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Wall St fecha em baixa com apostas de alta de juros; bancos saltam

14/04/2023 17h57

Por Stephen Culp

NOVA YORK (Reuters) - Wall Street encerrou em baixa nesta sexta-feira, conforme uma enxurrada de dados econômicos mistos pareceu confirmar outro aumento na taxa de juros do Federal Reserve, diminuindo o entusiasmo de investidores depois que uma série de balanços corporativos de grandes bancos norte-americanos abriu a temporada de resultados do primeiro trimestre.

Os três principais índices de ações dos Estados Unidos terminaram no território negativo, mas, na esteira do rali robusto de quinta-feira, os índices S&P 500 e Dow Jones registraram ganhos semanais.

Citigroup, JPMorgan Chase e Wells Fargo superaram as expectativas em seus balanços, beneficiando-se do aumento da taxa de juros e da redução dos temores de estresse no sistema bancário.

O setor bancário do S&P 500 saltou 3,5% e o JPMorgan Chase subiu 7,6%, seu maior ganho percentual em um dia desde 9 de novembro de 2020.

Citigroup avançou 4,8%, enquanto Wells Fargo caiu 0,1%.

Mas uma série de dados econômicos mistos, que inclui vendas no varejo, produção industrial e confiança do consumidor, consolidaram as expectativas de que o Fed aumentará os juros em mais 0,25 ponto percentual na reunião de política monetária do mês que vem.

Essas expectativas foram reforçadas pelo presidente do Fed de Atlanta, Raphael Bostic, que disse que outro incremento de 0,25 ponto percentual poderia permitir que o Fed encerrasse seu ciclo de aperto monetário, mesmo com o presidente do Fed de Chicago, Austan Goolsbee, pedindo que o banco central seja prudente.

Os mercados financeiros precificavam uma probabilidade de 74% de que isso aconteça, de acordo com a ferramenta FedWatch da CME.

O Dow Jones caiu 0,42%, para 33.886,47 pontos. O S&P 500 perdeu 0,21%, a 4.137,64 pontos. O índice de tecnologia Nasdaq recuou 0,35%, para 12.123,47 pontos.

Entre os 11 principais setores do S&P 500, sete encerraram a sessão em baixa, com imobiliário na lanterna. O setor financeiro teve o maior salto percentual, com alta de 1,1%.