IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Dólar recua após salto da véspera, mas segue acima de R$5 e mira alta semanal

20/04/2023 09h10

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) -O dólar recuava frente ao real nesta quinta-feira, em provável movimento de ajuste, mas longe de compensar o salto de mais de 2% da véspera, que impulsionou a moeda acima de 5 reais e a deixou a caminho de fechar a semana em forte alta, diante de temores sobre a saúde fiscal do Brasil.

Às 9:23 (horário de Brasília), o dólar à vista recuava 0,17%, a 5,0772 reais na venda. Na B3, o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,02%, a 5,0840 reais.

O dólar à vista fechou a última sessão cotado a 5,086 reais na venda, em alta de 2,20%. Após movimentos expressivos da divisa, é normal haver momentos pontuais de correção no sentido oposto, conforme operadores ajustam posições.

A disparada do dólar na quarta-feira foi atribuída por investidores, em parte, à avaliação de que a proposta do novo arcabouço do governo para as contas públicas traz inconsistências e exime o governo de responsabilidades pelo descumprimento das metas fiscais, além de embutir metas ambiciosas demais.

Enquanto isso, a demissão do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general da reserva Gonçalves Dias, inflamou a oposição e fez crescer o risco do governo ter de enfrentar sua primeira CPMI no Congresso para investigar o 8 de janeiro.

Isso "poderá comprometer a tramitação do arcabouço fiscal" no Congresso, disse nesta quinta-feira Guilherme Esquelbek, analista da Correparti Corretora.

Enquanto isso, no exterior, o índice do dólar contra uma cesta de pares fortes tinha leve alta, em mais um dia de aversão a risco internacional em meio a temores sobre a persistência da inflação e altas de juros nas principais economias.

O dólar à vista está a caminho de encerrar esta semana, que será encurtada pelo feriado do Dia de Tiradentes na sexta-feira, em alta de mais de 3%. Se confirmado, isso marcará o maior ganho semanal desde o período encerrado em 11 de novembro de 2022 (+5,49%).

(Edição Alberto Alerigi Jr.)