IPCA
0,42 Mar.2024
Topo

Chile planeja estatizar indústria de lítio do país

21/04/2023 14h52

Por Alexander Villegas e Ernest Scheyder

SANTIAGO (Reuters) - O presidente do Chile, Gabriel Boric, disse nesta quinta-feira que vai nacionalizar a indústria de lítio do país, o segundo maior produtor mundial do metal essencial para baterias de veículos elétricos, para impulsionar sua economia e proteger seu meio ambiente.

O movimento de choque no país com as maiores reservas de lítio do mundo iria, com o tempo, transferir o controle das vastas operações de lítio do Chile dos gigantes da indústria SQM e Albemarle ALB.N para uma empresa estatal separada.

Isso representa um novo desafio para os fabricantes de veículos elétricos (EV), que lutam para proteger os materiais das baterias, à medida em que mais países procuram proteger seus recursos naturais. O México nacionalizou seus depósitos de lítio no ano passado e a Indonésia proibiu as exportações de minério de níquel, um material essencial para baterias, em 2020.

O México também está trabalhando com os governos da Argentina, Bolívia e Chile para criar uma associação de lítio para que os países, que juntos respondem por mais da metade das reservas mundiais, possam compartilhar seus conhecimentos para explorar o mineral.

"Esta é a melhor chance que temos de fazer a transição para uma economia sustentável e desenvolvida. Não podemos desperdiçá-la", disse Boric em um discurso televisionado para todo o país.

Contratos futuros de lítio só seriam emitidos como parcerias público-privadas com controle estatal, disse ele.

Uma tentativa no ano passado de revisar os direitos de mineração enfrentou forte oposição do setor de mineração e foi rejeitada.