IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Ações europeias caem com pessimismo macroeconômico; setor de luxo se recupera

25/05/2023 14h10

Por Sruthi Shankar e Ankika Biswas

(Reuters) - As ações europeias caíram nesta quinta-feira, uma vez que as preocupações com o impasse do teto da dívida dos Estados Unidos e uma desaceleração econômica global ressurgiram e superaram o otimismo sobre os resultados corporativos, enquanto os papéis de luxo se estabilizaram após uma forte liquidação.

O índice pan-europeu STOXX 600 fechou em queda de 0,32%, a 456,18 pontos, perdendo cerca de 2,7% em três dias consecutivos, derrubado por perdas recentes em ações de luxo e falta de progresso nas negociações para aumentar o teto da dívida dos EUA e evitar um calote.

Uma reportagem da mídia informou que o presidente da Câmara dos EUA, Kevin McCarthy, não sabe se os negociadores do Congresso e da Casa Branca conseguirão chegar a um acordo sobre o aumento do limite da dívida nesta quinta-feira, renovando os temores de um calote sem precedentes nos Estados Unidos.

"O teto da dívida dos EUA é a manchete no momento --a incerteza que está trazendo para os mercados é incrivelmente difícil de navegar", disse Helen Jewell, vice-diretora de investimentos da BlackRock Fundamental Equities para Europa, Oriente Médio e África.

As ações europeias ficaram sob forte pressão de venda esta semana, com os investidores preocupados com um possível calote da dívida dos EUA e uma inflação persistente no Reino Unido, depois que uma forte temporada de resultados impulsionou várias bolsas regionais para máximas recordes.

O que mais pesou no dia foram as perdas nos papéis de energia em meio à queda nos preços do petróleo, enquanto as principais empresas de luxo respiraram e ajudaram a evitar perdas mais acentuadas no STOXX 600. 

"As ações de luxo podem resistir a uma recessão, porque indivíduos com alto patrimônio líquido tendem a comprá-las... portanto, se as ações sofrerem uma queda mais profunda, eu veria isso como uma compra de valor potencial", disse Giles Coghlan, analista-chefe de mercado da HYCM.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,74%, a 7.570,87 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,31%, a 15.793,80 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,33%, a 7.229,27 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,44%, a 26.408,00 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,52%, a 9.116,10 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 1,12%, a 5.888,88 pontos.