Ucrânia pede a cidadãos em idade militar que "superem o medo" em campanha de recrutamento

KIEV (Reuters) - O Ministério da Defesa da Ucrânia pediu aos cidadãos em idade militar que atualizem seus dados nos escritórios de alistamento do Exército e "superem o medo" em uma campanha lançada nesta quinta-feira, enquanto a contra-ofensiva de verão chega ao seu terceiro mês.

A campanha, que se baseia em vídeos e fotos astutamente produzidos com depoimentos de proeminentes soldados descrevendo seus medos, visa quebrar um grande obstáculo no recrutamento do exército, disse a vice-ministra da Defesa, Hanna Maliar.

"Somos todos pessoas vivas e todos superamos esse medo para vencer", disse ela, lembrando que os cidadãos em idade militar têm o dever de manter atualizados seus dados pessoais nos escritórios de convocação.

A campanha ocorre enquanto a Ucrânia enfrenta provavelmente os desafios mais difíceis no recrutamento até agora, à medida que a guerra com a Rússia, agora em uma fase brutalmente desgastante, se aproxima da marca de 18 meses.

Ao delinear a campanha, Maliar teve o cuidado de dizer que nem todos os que atualizassem os seus dados pessoais seriam automaticamente mobilizados para o serviço militar e que nem todos os que fossem mobilizados acabariam numa zona de combate.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, anunciou uma mobilização geral após a invasão em grande escala da Rússia em fevereiro de 2022 e os reservistas militares entre 18 e 60 anos são elegíveis para alistamento.

"A bravura vence o medo", dizia um dos slogans da campanha.

"Todo mundo tem medo de uma guerra. Eu também", diz a campanha, creditando a fala a um soldado ucraniano que lutou em Bakhmut.

Maliar também prometeu acabar com a corrupção no processo de recrutamento.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Dan Peleschuk)

Deixe seu comentário

Só para assinantes