Desaceleração industrial na zona do euro ganha força em outubro, mostra PMI

LONDRES (Reuters) - A atividade industrial da zona do euro deu mais um passo atrás no mês passado, em uma desaceleração generalizada, de acordo com uma pesquisa que mostrou que o volume de novos pedidos contraiu-se a uma das taxas mais acentuadas desde que os dados foram coletados pela primeira vez em 1997.

O Índice de Gerentes de Compras (PMI) final do setor industrial da zona do euro da HCOB, compilado pela S&P Global, caiu para 43,1 em outubro em relação aos 43,4 de setembro, um pouco acima da estimativa preliminar de 43,0. Uma leitura abaixo de 50 indica uma contração na atividade.

Um índice que mede a produção, que alimenta um PMI composto a ser divulgado na segunda-feira e que é visto como um bom indicador da saúde econômica, manteve-se estável em 43,1.

"A tendência do setor industrial da zona do euro nos últimos dois anos, mais ou menos, parece um passeio de trenó acidentado em direção ao vale", disse Cyrus de la Rubia, economista-chefe do Hamburg Commercial Bank.

"O índice de novos pedidos estagnado, que permanece profundamente em território negativo, e o comportamento semelhante do índice de quantidade de compras não sugerem uma reviravolta imediata."

O volume de novos pedidos caiu pelo 18º mês em outubro e em um ritmo mais rápido, com o índice caindo de 39,2 para 39,0. O índice de quantidade de compras foi também um dos mais baixos da história da pesquisa, sugerindo que as fábricas não acreditam que precisem de muitas matérias-primas.

O enfraquecimento da demanda ocorreu apesar de as fábricas terem cortado seus preços novamente em outubro -- o sexto mês consecutivo em que o fizeram -- provavelmente uma notícia bem-vinda para os formuladores de política monetária do Banco Central Europeu, que têm lutado para reduzir a inflação para sua meta de 2%.

Na semana passada, eles deixaram as taxas de juros inalteradas, encerrando uma série de 10 aumentos consecutivos.

Embora a inflação esteja caindo rapidamente, a economia da zona do euro começou a se contrair, segundo dados oficiais divulgados na terça-feira.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Jonathan Cable)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes