Coreia do Sul reestabelecerá proibição de venda a descoberto até junho para "equiparar condições"

Por Jack Kim

SEUL (Reuters) - A Coreia do Sul vai impor novamente a partir de segunda-feira a proibição da venda de ações a descoberto pelo menos até junho para promover "condições de concorrência equitativas" para investidores de varejo e institucionais, disseram autoridades financeiras neste domingo.

A proibição foi levantada em maio de 2021 para negociações envolvendo ações de empresas com grande capitalização de mercado incluídas nos índices acionários KOSPI200 e KOSDAQ150. A restrição permaneceu em vigor para a maioria das outras ações.

A venda a descoberto envolve a venda de ações emprestadas para recomprar a um preço mais baixo e lucrar com a diferença.

"A medida visa equilibrar fundamentalmente as condições desiguais entre investidores institucionais e de varejo", disse o presidente da Comissão de Serviços Financeiros (FSC, na sigla em inglês), Kim Joo-hyun, em entrevista coletiva.

"Em meio à incerteza contínua nos mercados financeiros, grandes bancos de investimento estrangeiros têm se envolvido, por uma questão de prática, em negociações injustas... e determinamos que seria impossível manter uma disciplina comercial justa", disse Kim.

A FSC analisará a atividade do mercado em junho para decidir se há melhorias significativas para permitir a suspensão da proibição, disse ele.

(Reportagem de Jack Kim)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes