Dólar sobe após cinco sessões de queda em dia de ajustes técnicos no Brasil

Por Fabricio de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar à vista interrompeu uma sequência de cinco sessões consecutivas de baixa e encerrou a quarta-feira em alta ante o real, em meio a ajustes de preços e posições no mercado brasileiro e a uma piora dos mercados globais no período da tarde.

O dólar à vista fechou o dia cotado a 4,9078 reais na venda, em alta de 0,70%. Em novembro, porém, a divisa norte-americana acumula baixa de 2,63%.

Na B3, às 17:25 (de Brasília), o contrato de dólar futuro de primeiro vencimento subia 0,76%, a 4,9195 reais.

Durante a manhã, o dólar oscilou em alta ante o real na maior parte do tempo, com participantes do mercado ajustando posições e realizando lucros após os recuos mais recentes.

“O dia foi de realização de lucros, de correção mesmo, um pouco com a ajuda do exterior. Se o exterior tivesse com um dólar mais fraco, teríamos outro dia de queda também no Brasil”, comentou o diretor da Correparti Corretora, Jefferson Rugik.

O dólar até ensaiou um novo recuo ao marcar a cotação mínima de 4,8713 reais (-0,05%) às 11h40, mas rapidamente voltou para o território positivo.

Operador ouvido pela Reuters citou a atuação de estrangeiros na ponta de compra da moeda norte-americana no mercado futuro -- o mais líquido do Brasil e, no limite, o que define as cotações no segmento à vista.

Durante a tarde, o dólar renovou as máximas da sessão, em sintonia com a piora dos índices de ações em Nova York e no Brasil. Na máxima da sessão, às 15h20, a divisa à vista foi cotada a 4,9180 reais (+0,91%).

Continua após a publicidade

Até o fechamento, desacelerou novamente, também em sintonia com os índices de ações em Nova York e em São Paulo, que retomaram parte do fôlego.

No mercado global de moedas, o dólar seguia no fim da tarde muito perto da estabilidade ante uma cesta de moedas fortes, e tinha alta ante boa parte das divisas de exportadores de commodities e emergentes.

Assim como em relação ao real, o dólar subia ante o peso colombiano < COPUSD=R>, o peso chileno < CLPUSD=R> e o peso mexicano < MXNUSD=R>

Às 17:25 (de Brasília), o índice do dólar --que mede o desempenho da moeda norte-americana frente a uma cesta de seis divisas-- caía 0,01%, a 105,530.

Pela manhã, o BC vendeu todos os 16.000 contratos de swap cambial tradicional ofertados na rolagem dos vencimentos de janeiro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes