Bayer é condenada a pagar US$1,56 bi após derrota em julgamento nos EUA sobre herbicida Roundup

Por Tom Hals

(Reuters) - Um júri do Missouri determinou que a Bayer pague 1,56 bilhão de dólares a quatro demandantes que alegaram que o herbicida Roundup da empresa causou lesões, incluindo câncer, uma decisão que pode intensificar a pressão dos investidores sobre a empresa alemã de medicamentos e produtos químicos agrícolas para mudar sua estratégia jurídica.

O júri do condado de Cole, Missouri, concluiu na sexta-feira que a Monsanto, empresa da Bayer, é culpada pelas alegações de negligência, defeitos de design e por não alertar os demandantes sobre os potenciais perigos do uso do Roundup, de acordo com documentos judiciais.

Valorie Gunther, de Nova York, Jimmy Draeger, do Missouri, e Daniel Anderson, da Califórnia, receberam um total combinado de 61,1 milhões de dólares em indenizações compensatórias e 500 milhões cada em indenizações punitivas.

Cada um deles foi diagnosticado com linfoma não Hodgkin, que alegaram ter sido causado pelo uso do Roundup em suas propriedades familiares. A esposa de Draeger, Brenda, recebeu 100 mil dólares pelos danos que alegadamente sofreu com a doença de seu marido.

Os danos punitivos podem ser reduzidos em recurso, pois excedem a orientação da Suprema Corte dos Estados Unidos.

A Bayer afirmou que décadas de estudos mostraram que o Roundup e seu ingrediente ativo, o glifosato, são seguros para uso humano.

A decisão é a quarta derrota consecutiva nos tribunais para a Bayer, depois de a empresa ter sido considerada isenta de responsabilidade em nove julgamentos consecutivos. No início deste mês, a Union Investment, um dos 10 principais acionistas da Bayer, pediu à empresa que considerasse tentar negociar com os demandantes para resolver mais casos.

A Bayer disse em comunicado que possui argumentos sólidos para reverter as decisões recentes em recurso.

Continua após a publicidade

(Reportagem de Tom Hals em Wilmington)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes