Ibovespa tem oscilação modesta em dia de cautela externa

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa tinha variações modestas nesta segunda-feira, sem firmar uma direção, em meio a um viés mais cauteloso exterior, enquanto o noticiário corporativo doméstico destacava proposta da Eneva para uma fusão com a Vibra e acordo da Americanas com parte dos bancos credores.

Às 11:47h, o Ibovespa caía 0,1%, a 125.395,96 pontos, endossado pelo alívio na curva futura de juros. O volume financeiro somava 3,6 bilhões de reais.

A relativa hesitação do Ibovespa ocorre após rali que deve garantir a novembro o melhor desempenho mensal em três anos, com o ganho acumulado até o momento em torno de 11%.

Análise gráfica da BB Investimentos afirma que o Ibovespa pode seguir sua trajetória de alta nesta semana caso confirme esse ponto como novo suporte de curto prazo. "O ímpeto comprador arrefeceu na última semana, mas ainda é cedo para configurar uma reversão de tendência", afirmou em nota a clientes.

"Entendemos que, mesmo com episódios de realização, o índice ainda encontra mais forças para seguir sua tendência de alta de forma mais consistente."

No exterior, Wall Street também mostrava variações tímidas, enquanto o petróleo recuava. Mas os rendimentos dos títulos do Tesouro norte-americano caíam, corroborando também o alívio na curva de DI e fornecendo um apoio relevante às ações na B3.

De acordo com a equipe da mesa de renda variável da XP Inc, a semana tem uma agenda pesada de indicadores no exterior, "em especial PIB, PCE e Livro Bege dos Estados Unidos, que ajudarão a ajustar as apostas para a política monetária" do Federal Reserve, conforme nota enviada a clientes.

No Brasil, em razão das preocupações com o cenário fiscal, também eram analisados dados mostrando que a arrecadação do governo federal teve alta real de 0,10% em outubro ano a ano, para 215,602 bilhões de reais, um pouco acima da expectativa em pesquisa da Reuters, de 212,5 bilhões de reais.

Continua após a publicidade

"Com os desdobramentos no campo monetário nos EUA incorporados pelo mercado nas últimas semanas, o foco dos investidores no Brasil retorna à pauta fiscal e seus impactos na curva de juros de longo prazo", avalia a equipe da BB Investimentos.

DESTAQUES

- YDUQS ON avançava 8,23%, a 20,77 reais, apoiada por relatório de analistas do JPMorgan elevando a recomendação da ação para "overweight". COGNA ON valorizava-se 5,14%, a 3,07 reais.

- LOCAWEB ON subia 4,51%, a 6,03 reais, tendo no radar dados divulgados pela empresa fornecedora de sistemas e ferramentas para comércio eletrônico de que as vendas brutas associadas a sua plataforma cresceram 24,8% na Black Friday ante o mesmo período do ano passado. As vendas em lojas próprias de clientes subiram 28,2%.

- CEMIG PN tinha elevação de 1,99%, a 10,77 reais, experimentando uma trégua, após seis quedas seguidas, período em que acumulou perda de 21%, refletindo receios com a possibilidade de federalização da companhia, particularmente o risco de Minas Gerais usar sua participação na elétrica para reduzir a dívida com a União.

- VIBRA ON recuava 2,65%, a 21,64 reais, após a Eneva apresentar uma proposta não vinculante de fusão com a empresa, em transação que mira a criação de uma gigante de energia ao agregar os negócios de exploração de gás natural e geração termelétrica e renovável à distribuição de combustíveis. ENEVA ON cedia 0,92%, a 12,95 reais

Continua após a publicidade

- CVC ON caía 3,00%, a 3,23 reais, em dia de ajustes, após acumular uma valorização de 9% nos dois pregões anteriores.

- VALE ON tinha variação negativa de 0,39%, a 73,46 reais, em dia de desempenho misto de futuros do minério de ferro na Ásia. O contrato mais negociado na Dalian Commodity Exchange (DCE), na China, encerrou o dia com alta de 0,36%, enquanto o vencimento de referência na Bolsa de Cingapura caiu 0,64%.

- PETROBRAS PN recuava 0,60%, a 35,06 reais, em meio à queda dos preços do petróleo no exterior, onde o Brent cedia -0,45%. A companhia também informou nesta segunda-feira que o contrato para a venda da refinaria Lubrificantes e Derivados de Petróleo do Nordeste (Lubnor) e seus ativos logísticos foi rescindido.

- ITAÚ UNIBANCO PN ganhava 0,29%, a 30,77 reais, e BRADESCO PN caía 0,19%, a 16,13 reais.

- AMERICANAS ON, que não faz parte do Ibovespa, registrava acréscimo de 2,73%, a 1,13 reais, após anunciar que conseguiu de parte dos principais bancos credores da companhia apoio vinculante para o plano de recuperação judicial da empresa, além de crédito deste grupo de 1,5 bilhão de reais. A varejista disse que esses "credores apoiadores" representam mais de 35% de sua dívida.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes