Vendas de moradias novas nos EUA caem mais do que o esperado em outubro

WASHINGTON (Reuters) - As vendas de novas moradias unifamiliares nos Estados Unidos caíram mais do que o esperado em outubro, provavelmente porque as taxas de hipoteca mais altas reduziram a acessibilidade, mas o setor continua sustentado por uma persistente escassez de imóveis antigos no mercado.

As vendas de moradias novas caíram 5,6% no mês passado, para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 679.000 unidades, informou o Departamento de Comércio nesta segunda-feira. O ritmo de vendas de setembro foi revisado para baixo, para 719.000 unidades, em relação às 759.000 informadas anteriormente.

Economistas consultados pela Reuters previam que as vendas de moradias novas, que representam uma pequena parcela das vendas de casas nos EUA, cairiam para uma taxa de 723.000 unidades.

As vendas de casas novas são contadas no momento da assinatura de um contrato, o que as torna um indicador antecedente do mercado imobiliário. No entanto, elas podem ser voláteis em uma base mensal. As vendas aumentaram 17,7% em outubro na comparação anual.

O estoque de moradias usadas no mercado está quase 50% abaixo de seu nível pré-pandemia, de acordo com a Associação Nacional de Corretores de Imóveis, que na semana passada informou que as revendas de casas caíram para o nível mais baixo em 13 anos em outubro.

A maioria dos proprietários de imóveis tem taxas de hipoteca abaixo de 3%, o que faz com que muitos relutem em vender, aumentando a demanda por novas construções.

A taxa da popular hipoteca com taxa fixa de 30 anos saltou para uma média de 7,79% no final de outubro, o nível mais alto desde novembro de 2000, de acordo com dados da agência de financiamento hipotecário Freddie Mac. As taxas hipotecárias subiram quando o Federal Reserve aumentou agressivamente a taxa de juros para combater a inflação.

(Reportagem de Lucia Mutikani)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes