Petrobras avalia aquisição de ativos da Mubalada na Bahia, além de parcerias em refino

Por Roberto Samora

SÃO PAULO (Reuters) -A Petrobras afirmou nesta sexta-feira que avaliará aquisição de participação acionária em ativos de refino e biorrefino da Mubadala Capital na Bahia, assim como parcerias estratégicas no segmento.

O anúncio de sexta-feira reacendeu as especulações sobre a possibilidade de a Petrobras recomprar a refinaria de Mataripe, que vendeu sob gestão anterior à Mubadala em 2021 por 1,65 bilhão de dólares.

Desde que Luiz Inácio Lula da Silva se tornou presidente em janeiro, membros de seu governo sugeriram que a Petrobras recompraria alguns ativos de refino para aumentar sua produção de combustíveis. Um estudo sobre o assunto foi reportado pela Reuters em agosto de 2022, ainda no período eleitoral.

A Mubadala Capital, de Abu Dhabi, controla por meio da Acelen a Refinaria de Mataripe (ex-Rlam), adquirida da Petrobras, e a Acelen Energia Renovável.

A Petrobras não detalhou se as negociações incluíam a recompra total de Mataripe, que responde por mais de 10% da capacidade de refino de petróleo do Brasil.

O ministro de Minas e Energia, Alexandre Silveira, apoiou a recompra da Mataripe em setembro, enquanto o CEO da Petrobras, Jean Paul Prates, disse no mês passado que era "uma possibilidade".

A informação foi divulgada em nota ao mercado pela Petrobras nesta sexta-feira após a empresa ter recebido comunicação da Mubadala propondo "a formalização de discussões recentes sobre a formação de potencial parceria estratégica para o desenvolvimento do 'downstream' no Brasil".

A iniciativa tem como escopo negócios voltados ao refino tradicional, bem como o desenvolvimento de uma biorrefinaria, ambas na Bahia, segundo a Petrobras.

Continua após a publicidade

A estatal disse que a correspondência do grupo de Abu Dhabi traz os principais termos e condições da eventual parceria.

"A proposta ainda será objeto de avaliação interna pela Petrobras", afirmou a empresa, reforçando que eventuais decisões de investimentos deverão passar pelos processos de planejamento e aprovação previstos nas sistemáticas aplicáveis, ficando em linha com seu Plano Estratégico 2024-2028.

A Refinaria de Mataripe, situada em São Francisco do Conde, possui capacidade de processamento de 333 mil barris/dia, e seus ativos incluem quatro terminais de armazenamento e um conjunto de oleodutos que interligam a refinaria e os terminais totalizando 669 quilômetros de extensão, segundo nota da Petrobras.

Já o projeto de biorrefino integrado contempla instalações de produção de diesel renovável e querosene de aviação sustentável a partir de óleo vegetal oriundo de culturas nativas, com operação nos Estados da Bahia e Minas Gerais.

O projeto de biorrefino da Acelen envolve investimentos de 12 bilhões de reais.

(Com reportagem adicional de Gabriel Araujo; edição Alberto Alerigi Jr. e Letícia Fucuchima)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes