Opep enfatiza unidade da Opep+, após saída de Angola

DUBAI/LONDRES (Reuters) - A Opep afirmou em comunicado nesta quarta-feira que a cooperação e o diálogo dentro da aliança mais ampla de produtores de petróleo chamada Opep+ continuarão, após a Angola, membro da Opep, ter anunciado mês passado que deixaria o grupo.

A cooperação contínua dentro da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados como a Rússia beneficiará "todos os produtores, consumidores e investidores, bem como a economia global em geral", afirmou a Opep em um comunicado.

Angola disse em 21 de dezembro que deixará a Opep a partir deste mês, uma medida que provocou uma queda nos preços do petróleo e que, segundo alguns analistas, levantou questões sobre a unidade da Opep e da aliança mais ampla Opep+.

A declaração da Opep não fez menção a Angola, mas disse que os membros da Opep estavam unidos.

"Os países membros da Opep reafirmam o seu compromisso inabalável com os objetivos partilhados de unidade e coesão, tanto dentro da organização como com os países produtores não-Opep que participam no DoC", afirmou, usando o nome formal da Opep+ de Declaração de Cooperação.

A Opep+ está realizando um novo movimento de cortes voluntários na produção de petróleo, totalizando cerca de 2,2 milhões de barris por dia (bpd) para o primeiro trimestre de 2024, somando-se às reduções anteriores anunciadas em várias etapas desde o final de 2022, para apoiar o mercado.

(Reportagem de Maha El Dahan e Alex Lawler)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes