Musk quer 25% de controle de voto na Tesla antes de cumprir meta de IA

Por Chandni Shah e Hyunjoo Jin

(Reuters) - O presidente-executivo da Tesla, Elon Musk, disse que se sentiria desconfortável em conduzir a montadora à liderança em robótica e inteligência artificial sem ter ao menos 25% do controle de voto da empresa, quase o dobro de sua participação atual.

Musk disse na segunda-feira no X, antigo Twitter, que, a menos que ele receba ações na montadora mais valiosa do mundo em quantidade "suficiente para ser influente, mas não tanto que não possa ser derrubado", na Tesla, ele preferiria desenvolver produtos fora da fabricante de veículos elétricos.

Ele tem há muito tempo promovido o software parcialmente automatizado "Full Self-Driving" da Tesla e seus protótipos de robôs humanoides, mas a fabricante de veículos elétricos gera a maior parte de sua receita com seu negócio automotivo.

Alguns analistas também apontaram as tecnologias, incluindo o supercomputador Dojo da Tesla para treinar modelos de IA, como impulsionadoras do "valuation" da montadora, com o analista da Morgan Stanley, Adam Jonas, afirmando em setembro que o Dojo poderia aumentar o valor de mercado da empresa em quase 600 bilhões de dólares.

Musk, a pessoa mais rica do mundo, possui atualmente cerca de 13% das ações da Tesla após vender bilhões de dólares em ações em 2022, em parte para ajudar a financiar sua compra do Twitter por 44 bilhões de dólares.

Em uma publicação separada no X, ele disse que aceitaria uma estrutura de ações de classe dupla para atingir sua meta de obter 25% de controle de voto, mas foi informado que isso seria impossível após a oferta pública inicial da Tesla.

"É estranho que uma estrutura de ações com várias classes, como a que o Meta tem, que concede controle para as próximas 20 gerações de Zuckerbergs, seja aceitável antes do IPO, mas nem mesmo uma estrutura razoável de classe dupla é permitida após o IPO", disse, referindo-se ao fundador da controladora do Facebook, Mark Zuckerberg.

Empresas com estruturas de classe dupla têm dois ou mais tipos de ações com diferentes direitos de voto -- geralmente uma com maior poder de voto para fundadores ou investidores iniciais e outra para outros acionistas com menor poder de voto.

Continua após a publicidade

A Tesla não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

(Reportagem de Chandni Shah e Akash Sriram em Bengaluru e Hyunjoo Jin em São Francisco)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes