OMV e ADNOC retomarão negociação para formar aliança na área química, dizem fontes

Por Emma-Victoria Farr e Ron Bousso e Alexandra Schwarz-Goerlich

FRANKFURT/LONDRES/VIENA (Reuters) - A Abu Dhabi National Oil Co (ADNOC) e a austríaca OMV estão prontas para retomar as negociações em busca de um acordo sobre os termos finais de uma união que criaria um grupo de produtos químicos com mais de 20 bilhões de dólares em vendas anuais combinadas, disseram fontes próximas ao negócio.

Três pessoas com conhecimento da situação disseram que ainda há termos pendentes a serem acordados, e duas delas disseram que as empresas planejavam retomar as negociações possivelmente já nesta semana.

A OMV disse em julho do ano passado que havia entrado em negociações para fundir o grupo petroquímico Borealis -- que é de propriedade da OMV e da ADNOC em uma divisão de 75% a 25% -- e a Borouge, que está listada em Abu Dhabi e é de propriedade da ADNOC e da Borealis em uma fração de 54% a 36%.

As duas partes estão próximas de um acordo, segundo fontes informaram à Reuters anteriormente.

No entanto, ainda há vários pontos de atrito, incluindo uma provisão para garantias de emprego na Áustria, uma exigência de listagem em Viena e um presidente austríaco da nova empresa, disseram duas das pessoas, falando sob condição de anonimato.

Uma listagem dupla em Viena e nos Emirados Árabes Unidos poderia ser uma opção, disse uma quarta pessoa.

Um porta-voz da OMV disse que os dois lados estão com "negociações em andamento".

Em outubro, o presidente-executivo da empresa austríaca, Alfred Stern, disse que a empresa seria listada na bolsa de valores.

Continua após a publicidade

Ainda se espera que um acordo aconteça, pois os obstáculos são superáveis, disseram três das fontes.

Os termos do acordo também incluiriam uma injeção de capital para garantir que ambas as partes tenham a mesma participação acionária na nova empresa, informou a Reuters em dezembro.

Anteriormente, a OMV disse que tanto a Borealis quanto a Borouge se tornariam "parceiras iguais em uma plataforma listada e controlada conjuntamente para aquisições de crescimento potencial para criar uma empresa global de poliolefinas".

A OMV é parcialmente estatal e tem a Mubadala, de Abu Dhabi, como seu segundo maior acionista. As ações da Mubadala na OMV serão assumidas pela ADNOC, conforme anunciado anteriormente.

Separadamente, a estatal ADNOC disse nesta segunda-feira que alocaria 23 bilhões de dólares em projetos de descarbonização e de baixo carbono, acima da meta anterior de 15 bilhões de dólares.

(Reportagem adicional de Anousha Sakoui)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes