China avalia pacote de resgate do mercado de ações com apoio de US$278 bi, diz Bloomberg News

(Reuters) - As autoridades chinesas estão avaliando medidas para estabilizar o mercado de ações, informou a Bloomberg News nesta terça-feira, citando pessoas familiarizadas com o assunto e atraindo uma resposta cética de investidores.

As autoridades estão tentando mobilizar cerca de 2 trilhões de iuanes (278,53 bilhões de dólares), principalmente de contas offshore de empresas estatais, como parte de um fundo de uma estabilização para comprar ações onshore por meio do link da bolsa de Hong Kong, informou a Bloomberg News.

A Comissão Reguladora de Valores Mobiliários da China não respondeu a uma solicitação da Reuters para comentar o assunto.

Os mercados acionários da China tiveram um início de ano fraco, com um crescimento econômico irregular e uma nova queda nas vendas de casas na semana passada, o que solidificou a decisão dos investidores estrangeiros de se manterem afastados.

A matéria foi divulgada depois que o gabinete, após uma reunião presidida pelo primeiro-ministro Li Qiang, disse na segunda-feira que aumentaria a injeção de fundos de médio e longo prazo no mercado de capitais para fortalecer a estabilidade e promover um desenvolvimento saudável.

"O pacote do mercado de ações da China é uma medida bem-vinda e mostra a crescente capacidade de resposta das autoridades. Porém, com menos de 2% de seu PIB, tememos que isso ainda seja inadequado", disse Aninda Mitra, chefe de macroeconomia e estratégia de investimentos da Ásia no BNY Mellon Investment Management.

Os gestores globais de dinheiro - que venderam ações chinesas quando a recuperação pós-pandemia estagnou - disseram que será necessário muito tempo ou um grande estímulo para reparar o setor imobiliário, que já foi responsável por um quarto da economia.

Os fundos estrangeiros venderam cerca de 1,6 bilhão de dólares em ações chinesas até agora neste ano, impulsionados principalmente por fundos ativos europeus e dinheiro passivo de Hong Kong, disse o Morgan Stanley em um relatório na semana passada.

Os investidores chineses também estão se esquivando das ações.

Continua após a publicidade

Em sua matéria, a Bloomberg disse que as autoridades chinesas alocaram pelo menos 300 bilhões de iuanes de fundos locais para investir em ações onshore por meio do China Securities Finance ou do Central Huijin Investment.

Elas também estão considerando outras opções, algumas das quais poderão ser anunciadas já nesta semana, se aprovadas pela alta liderança, informou a Bloomberg.

(Reportagem de Nilutpal Timsina em Bengaluru e Ankur Banerjee em Cingapura)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora