Ibovespa sobe antes de decisão do Fed; Santander Brasil recua após balanço

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa subia nesta quarta-feira, com o mercado em clima de expectativa para a decisão de política monetária do Federal Reserve e os sinais sobre os próximos passos da autoridade monetária dos Estados Unidos.

Às 10h27, o Ibovespa subia 0,54%, a 128.095,35 pontos. O volume financeiro somava 1,17 bilhão de reais.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Fed anuncia às 16h (horário de Brasília) sua decisão, com as expectativas do mercado na direção da manutenção da taxa básica de juros dos EUA na faixa de 5,25% a 5,50% ao ano.

O foco estará no comunicado que acompanha a decisão e também nas declarações do chair do BC norte-americano, a partir das 16h30, que podem ajudar a calibrar as apostas em relação ao começo dos cortes de juros na maior economia do mundo.

Em Wall Street, os futuros acionários não mostravam uma direção única para a abertura das bolsas norte-americana, refletindo ainda a repercussão aos resultados e previsões da Alphabet e da Microsoft.

Ainda no cenário externo, agentes financeiros também analisavam dados sobre a economia chinesa, mostrando que a atividade industrial continuou encolhendo em janeiro, enquanto o setor de serviços voltou a crescer.

No Brasil, o destaque da agenda está reservado para o final da quarta-feira, quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anuncia decisão sobre a Selic, que deve ser reduzida novamente em 0,50 ponto percentual, a 11,25% ao ano.

Para economistas do Bradesco, o BC deve reforçar o recado de que o ritmo atual de cortes é adequado para as próximas reuniões.

Continua após a publicidade

DESTAQUES

- NATURA&CO ON valorizava-se 4,07%, a 16,10 reais. Relatório do Citi elevou a recomendação das ações para "compra/alto risco", bem como o preço-alvo dos papéis de 15 para 21 reais. Entre as razões para o "upgrade", os analistas citaram que a fabricante de cosméticos está mais enxuta e focada na integração Avon/Natura na América Latina após a venda da The Body Shop.

- HYPERA ON avançava 4,10%, a 32,50 reais, após o conselho de administração convocar assembleia geral extraordinária para 21 de fevereiro para deliberar sobre proposta de aumento do capital social da companhia, sem a emissão de novas ações pela empresa, mediante a capitalização de parcela do saldo da reserva de incentivos fiscais. Para analistas do Goldman Sachs, o anúncio elimina um dos "overhangs" sobre as ações relacionado a sua capacidade de distribuição de juros sobre capital próprio.

- SANTANDER BRASIL UNIT registrava queda de 2,40%, a 28,50 reais, após divulgar lucro líquido recorrente de 2,204 bilhões de reais nos últimos três meses de 2023, abaixo das previsões de analistas, segundo dados da LSEG. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN ganhava 0,80%, a 32,69 reais, e BRADESCO PN tinha elevação de 0,46%, a 15,34 reais. Ambos divulgam seus respectivos balanços na próxima semana.

- RD ON cedia 1,75%, a 25,79 reais, tendo no radar relatório do Citi cortando a recomendação das ações para "venda" e reduzindo o preço-alvo dos papéis de 27 para 24 reais. "A desaceleração esperada da receita...naturalmente não é um bom presságio para a alavancagem operacional, que, combinada com despesas gerais e administrativas teimosamente elevadas e piores premissas fiscais - MP 1.185 -, deve continuar a pesar sobre lucratividade", argumentaram os analistas.

- VALE ON caía 0,60%, a 68,37 reais. Futuros de preços de minério de ferro na China operavam em queda, atingindo uma mínima de mais de uma semana. O movimento ocorria após dados fabris persistentemente fracos na segunda maior economia do mundo. Na véspera, o ministro dos Transportes disse que o governo está aberto a discutir caminhos com a Vale para receber apenas parte dos valores cobrados de outorga pela renovação antecipada de concessões ferroviárias.

Continua após a publicidade

- PETROBRAS PN avançava 0,45%, a 40,50 reais. No exterior, a sessão era de queda dos preços do petróleo, com o barril de Brent, usado como referência pela companhia, cedendo 1,29%, a 81,8 dólares.

- EMBRAER ON caía 0,83%, a 22,68 reais, após dados mostrando que entregou 75 jatos no quarto trimestre de 2023, uma queda de 6% na comparação com o mesmo período em 2022, sendo 25 aeronaves comerciais, 49 executivas e uma aeronave militar. A carteira de pedidos firmes da fabricante de aviões somava 18,7 bilhões de dólares ao término do último trimestre do ano passado, segundo relatório de entregas da companhia.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes