Nippon Steel diz estar no caminho certo para concluir aquisição da US Steel até setembro

Por Yuka Obayashi e Katya Golubkova

TÓQUIO (Reuters) - A japonesa Nippon Steel está no caminho certo para finalizar sua aquisição planejada de 15 bilhões de dólares da U.S. Steel até o final de setembro, à medida que intensifica as negociações com as principais partes interessadas, especialmente os sindicatos, disse um executivo nesta quarta-feira.

O acordo da quarta maior siderúrgica do mundo para comprar a U.S. Steel tem atraído críticas de alguns parlamentares norte-americanos e do poderoso sindicato United Steelworkers (USW).

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, cujas políticas protecionistas foram uma marca registrada de seu mandato, disse que bloqueará "instantaneamente" o acordo se vencer a eleição de 5 de novembro.

Em uma tentativa de fechar o acordo até setembro, conforme programado, a Nippon Steel está intensificando as negociações com várias partes interessadas, disse o vice-presidente executivo Takahiro Mori em uma coletiva de imprensa nesta quarta-feira.

No mês passado, Mori se reuniu com membros do Congresso dos EUA "para discutir como o acordo será benéfico para todas as partes interessadas, incluindo a indústria e os trabalhadores norte-americanos".

"Não acho que eles possam bloquear um projeto que é significativo para ambos os lados e benéfico para os setores relacionados e para ambos os países, simplesmente por causa de considerações políticas", disse Mori, acrescentando que a empresa havia contratado lobistas norte-americanos.

A Nippon Steel tem como objetivo obter o consentimento do USW, o principal sindicato da U.S. Steel, enfatizando que o acordo fortalecerá a lucratividade e as finanças da empresa norte-americana, levando a empregos estáveis.

As duas empresas também estão buscando as aprovações regulatórias necessárias nos EUA e em outras jurisdições.

Continua após a publicidade

A U.S. Steel, que se tornaria uma unidade de propriedade integral da Nippon Steel, poderá realizar uma reunião de acionistas no final de março, quando a Nippon Steel pretende chegar a um acordo com o sindicato dos trabalhadores, disse Mori.

Os desafios que a aquisição enfrenta nos EUA, o aliado mais próximo do Japão e onde Tóquio é o maior investidor estrangeiro, têm abalado as empresas japonesas, que, segundo os analistas, agora podem se tornar mais cautelosas ao avaliar os negócios nos Estados Unidos.

Nesta quarta-feira, a Nippon Steel divulgou uma queda de 14,7% no lucro líquido entre abril e dezembro para 440,9 bilhões de ienes (2,98 bilhões de dólares), uma vez que a melhoria das margens e a redução dos custos foram superadas pela ausência de grandes ganhos de avaliação de estoques registrados no ano anterior.

No entanto, a empresa elevou sua previsão de lucro para o ano inteiro até o final de março para 470 bilhões de ienes, ante 420 bilhões de ienes. Também aumentou em 10 ienes sua previsão de dividendos anuais feita em novembro, para 160 ienes por ação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes