Bolsas

Câmbio

Taxa de desemprego vai a 11,8% no 3º trimestre, aponta IBGE

A taxa de desemprego no Brasil aumentou para 11,8% no terceiro trimestre deste ano, ante 8,9% no mesmo período em 2015. No segundo trimestre, o nível de desocupação era de 11,3%, apontou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa do período entre julho e setembro ficou abaixo da média de 11,9% estimada por 22 consultorias e instituições financeiras ouvidas pelo Valor Data. O intervalo das estimativas ia de 11,8% a 12%.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, a população desempregada no terceiro trimestre aumentou 33,9% em relação a um ano antes, para 12 milhões de pessoas, um acréscimo de 3 milhões. Na comparação com o período de abril a junho deste ano, esse contingente aumentou 3,8%, ou mais 437 mil de pessoas.

Considerando o comparativo com o terceiro trimestre de 2015, o aumento do desemprego foi provocado pela entrada de 788 mil novas pessoas no mercado de trabalho. Além de todo esse contingente não ter encontrado uma vaga, mais 2,255 milhões perderam o emprego. Em relação ao intervalo de abril a junho de 2016, havia 527 mil pessoas a menos no mercado de trabalho, mas houve demissão de 963 mil pessoas.

Assim, o número de pessoas ocupadas diminuiu 2,4% ante o mesmo período de 2015 e caiu 1,1% ante o segundo trimestre, para 89,835 milhões.

Renda

A renda média real recebida pelo brasileiro em todos os trabalhados foi de R$ 2.015 no terceiro trimestre, queda de 2,1% ante um ano antes, quando era de R$ 2.059. Perante o segundo trimestre de 2016, quando a renda foi de R$ 1.997, houve alta de 0,9%.

A massa de rendimento real habitualmente recebida pelas pessoas ocupadas em todos os trabalhos (R$ 176,8 bilhões) não apresentou variação significativa no comparativo com o período de abril a junho de 2016 e caiu 3,8% frente ao mesmo trimestre do ano anterior.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos