Dólar recua 2% e sai na casa de R$ 3,31

O dólar inicia os negócios desta sexta-feira em baixa ante o real, após a forte turbulência na sessão anterior, quando bateu R$ 3,40. A crise política no país, entretanto, ainda mantém os agentes financeiros em estado de alerta e, aos poucos, a moeda dos EUA diminui a queda no Brasil. Os juros futuros, por sua vez, mostram instabilidade.


Às 9h35, o dólar comercial recuava 2,08%, cotado a R$ 3,3133, tendo oscilado nos primeiros negócios entre R$ 3,3439 e R$ 3,2909. O contrato futuro para junho, por sua vez, tinha baixa de 1,14%, a R$ 3,3410.


O DI janeiro de 2018 operava a 10,080%, ante 10,075% no ajuste anterior, e o DI janeiro de 2019 marca 10,550%, a 10,410% na mesma base de comparação. Ainda entre os vértices intermediários, o DI janeiro de 2021 avança a 11,600%, ante 11,390% no ajuste anterior.


Nos longos, DI janeiro de 2023 marcava 11,970%, ante 11,750%, e o DI janeiro de 2025 se situava a 12,160%, ante 11,910%.


Esta sexta-feira será mais um dia de firme intervenção do Banco Central (BC) no mercado de câmbio. E desta vez também o Tesouro Nacional atuará no mercado de renda fixa. O BC começa hoje um miniprograma de oferta de liquidez no mercado de câmbio, depois de na quinta-feira já ter feito a maior oferta líquida de swaps em quatro anos. Já o Tesouro Nacional deve realizar leilões de títulos públicos.


Ontem, a declaração do presidente Michel Temer de que não renunciará ao cargo, a despeito da atual crise em Brasília, não foi bem recebida pelos investidores. A preocupação diz respeito a um prolongamento do impasse e, com isso, a piora do ambiente para a economia e para as reformas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos