Mais de 90% dos brasileiros querem eleições diretas, segundo jornal

Levantamento do instituto Paraná Pesquisas mostra o presidente Michel Temer desaprovado por 84% das pessoas ouvidas. O estudo, de abrangência nacional, é o primeiro feito depois de vir à tona o áudio que mostra Temer conversandocom o empresário Joesley Batista, da JBS, tarde da noite, no porão do Palácio do Jaburu.


Na gravação, o presidente ouve o relato de Joesley sobre a compra de juízes e de um procurador para barrar investigações da Polícia Federal e responde: "Ótimo, ótimo."


A pesquisa, divulgada pelo jornal "O Estado de S.Paulo" desta quarta-feira (31), mostra que apenas 6,4% dos respondentes classificam o governo Temer como ótimo ou bom, contra 74,8% que o consideram ruim ou péssimo. O levantamento ouviu 2.022 pessoas em todo o país, de 25 a 29 de maio.


Ainda de acordo com os dados, nem as promessas de retomada na economia livram Temer da má avaliação. Questionados se dariam um "voto de confiança" ao peemedebista diante da perspectiva de crescimento econômico e queda no desemprego, 73,5% disseram que não, contra 23,5% que responderam que sim.


Caso Temer deixe a Presidência - o que pode acontecer por meio de renúncia, impeachment ou cassação -, 90,6% dos entrevistados preferem que seja feita uma eleição direta para escolha do novo mandatário do país.


No caso de eleições indiretas, os nomes mais citados foram o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (24,4%) e a atual ocupante do posto, Cármen Lúcia (13,2%). O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB) aparece em seguida, com 11,9% da preferência.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos