Bolsas

Câmbio

Em Nova York, Nasdaq tem novo recorde e mantém S&P no positivo

Os mercados globais equilibraram-se nesta terça-feira entre a euforia com as ações de tecnologia e o pessimismo político nos Estados Unidos, após o fracasso no Senado da aprovação da reforma do sistema de saúde proposto pelo presidente americano Donald Trump e apelidado de "Trumpcare".


A força da alta tecnológica levou o Nasdaq a fechar o dia com novo recorde e ajudou a manter o S&P 500 no território positivo. Enquanto isso, a falta de unidade entre os republicanos para aprovar a revogação do "Obamacare" alimentou a percepção de que Trump terá dificuldade para aprovar outros itens de sua agenda reformista. O impasse político pesou sobre setores das bolsas como indústria, energia, financeiro e de matérias-primas.


Após ajustes, o Dow Jones terminou em baixa de 0,25%, aos 21.574,73 pontos. O S&P 500 avançou 0,06%, para 2.460,61 pontos e superou o recorde de fechamento obtido na sexta-feira passada por apenas um ponto. O Nasdaq subiu 0,47%, para 6.344,30 pontos, superando a máxima histórica.


No S&P 500, os setores de tecnologia e consumo discricionário lideraram as altas, com ganhos de, respectivamente, 0,46% e 0,45%. Os avanços equilibraram o jogo diante das perdas de ações de energia e de matérias-primas, que recuaram 0,47% e 0,42%, nesta ordem.


O rali dos papéis de empresas de hardware, software e serviços de tecnologia da informação foi deflagrado pelos resultados acima do esperado do balanço da Netflix, divulgado na segunda-feira à noite após o fechamento dos mercados em Nova York.Além dos lucros e receitas melhores do que o projetado, a empresa de entretenimento por streaming reportou uma expansão recorde no segundo trimestre com 5,2 milhões de novos assinantes. As ações da Netflix saltaram 13,54% nesta terça-feira.


Outros gigantes do setor também apresentaram valorizações sólidas: o Facebook registrou alta de 1,96%, Amazon subiu 1,42%, Apple teve ganho de 0,37% e a Alphabet, controladora do Google, avançou 1,26%.


Por outro lado, a política nos EUA assumiu hoje o papel de principal catalisador de baixa para as ações. Nesta terça-feira, mais dois senadores republicanos se somaram aos outros três que haviam se declarado contrários à aprovação do "Trumpcare", o que significou a perda da maioria necessária para o governo passar o projeto pelo Senado americano.


Com a perda de condições de aprovar a reforma do sistema de saúde, as lideranças do partido do presidente Trump passaram a advogar a mera revogação do Obamacare sem um plano alternativo. Porém, quatro senadores republicanos se declararam também contra a iniciativa e enterraram, por enquanto, a mudança.


Investidores avaliaram que a dificuldade na aprovação do projeto de lei da saúde aumentou as dúvidas sobre a implementação de itens da agenda de Trump, como a reforma tributária.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos