Bolsas

Câmbio

IPCA-15 tem menor taxa para março em 18 anos

(Atualizada às 9h55) O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), prévia da inflação oficial do país, desacelerou a alta para 0,10% em março, a menor taxa para o mês desde 2000,informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Em fevereiro, o indicador tinha subido 0,38%.

O resultado ficou, ainda, abaixo do verificado em março de 2017 (+0,15%). Dessa forma, o índice de preços acumulado em 12 meses desacelerou na passagem dos meses: de 2,86% na prévia de fevereiro para 2,80% em março.No ano, por ora, o índice aumentou 0,87%.

O IPCA-15 ficou ligeiramente abaixo da média apurada pelo Valor Data com 24 consultorias e instituições financeiras,de 0,12% de aumento. O intervalo dessas estimativas ia de elevação de 0,07% a alta de 0,28%. Para o acumulado em 12 meses, a previsão era de 2,83% de avanço.

Considerando os últimos 12 meses, o indicador sinaliza que a inflação segue abaixo do piso do sistema de metas de inflação, de 3% neste ano ? a meta é de 4,5%, com tolerância de flutuação de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos.

Na quarta-feira, o Banco Central (BC) cortou a taxa básica de juros, a Selic, em 0,25 ponto percentual, para 6,50% ao ano. No comunicado, o Copom disse que "a inflação evoluiu de forma mais benigna que o esperado nesse início de ano".

Com inflação ainda abaixo do piso da meta, o caminho segue livre para uma nova redução da Selic para 6,25% ao ano, na próxima reunião de maio, como já sinalizou a autoridade monetária no comunicado.

Grupos

Seis dos nove grupos que integram o IPCA-15 apresentaram taxas menores de inflação na passagem de fevereiro para março, comoEducação, que saiu de uma alta de 4,01% para 0,25%. Os reajustes de cursos e escolas puxaram a taxa do grupo para cima, como ocorre tipicamente no mês a cada ano.

Outra desaceleração importante veio de Transportes, que foram de 1,11% para 0,07% de aumento. O responsável por essa baixa foi o item passagens aéreas, com queda de 15,33% no mês. Sozinho, retirou 0,06 ponto do IPCA-15.

Alimentação e bebidas, por sua vez, partiram de alta de 0,13% na prévia de fevereiro para queda de 0,07% em março. Esse grupo representa um quarto das despesas das famílias e retirou, dessa forma, 0,02 ponto percentual do IPCA-15 de março, que foi de 0,10%.

Também desaceleraram os preços dos grupos Artigos de Residência (de 0,20% em fevereiro para 0,09% em março) e Despesas Pessoais (de 0,19% para 0,12%). Comunicação deixou alta de 0,03% para decréscimo de 0,19%. Nesse caso, essa mudança de rumo foi influenciada pelo telefone fixo, com baixa de 0,94% em função da redução nas tarifas das ligações locais e interurbanas de fixo para móvel em vigor desde 25 de fevereiro.

Por sua vez, Habitação abandonou declínio de 0,15% no segundo mês de 2018 para acréscimo de 0,13% um mês depois; Vestuário ficou estável em março e Saúde e Cuidados Pessoais aceleraram de 0,34% para 0,54% entre um mês e outro.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos