PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Julgamento no TST e queda no petróleo abalam ação da Petrobras

21/06/2018 12h10

Os papéis da Petrobras apresentam o pior desempenho entre as "blue chips" do Ibovespa e puxam para baixo o principal índice da B3 nesta quinta-feira (21).

As ações são influenciadas por fatores externos, como a cotação do petróleo, e internos, como o julgamento de ação trabalhista bilionária contra a estatal pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST).

Pouco antes do meio-dia, Petrobras PN, em queda de 3,39%, apresentava o maior giro financeiro do Ibovespa, com R$ 432 milhões, enquanto Petrobras ON recuava 3,39% e movimenta R$ 73 milhões. O índice tinha perda de 1,6%, aos 70.967 pontos.

Para Sérgio Goldman, chefe de research da Magliano Corretora, a retração nas cotações internacionais do petróleo aparece como principal fator de pressão contra os papéis da estatal ? no horário, o Brent recuava 1,83%, enquanto o WTI tinha queda de 0,2%.

"A votação no TST também pode estar causando algum nervosismo", ressalta Goldman. A ação judicial, que questiona a fórmula de cálculo do complemento da política de salários da empresa, pode levar a Petrobras, em caso de derrota, a desembolsar R$ 17 bilhões para ajustar os salários de cerca de 51 mil empregados. O julgamento está em andamento.

O relator da ação, ministro Alberto Bresciani, entendeu que deve ser atendido o pedido dos funcionários, mas a revisora, ministra Maria de Assis Calsing, votou a favor da empresa. O julgamento continua com sustentações orais das partes envolvidas e, depois, relator e revisora vão justificar as teses propostas. Em seguida, os demais ministros da Corte também votarão.

Por fim, a questão da cessão onerosa segue no radar dos investidores. Ontem (20), a Câmara dos Deputados aprovou o texto-base do projeto de lei, mas a votação de três destaques ficou para a semana que vem ? o quórum da casa, contudo, deve ser afetado por causa das festas juninas no Nordeste.

Com o desempenho de hoje, Petrobras PN acumula alta de 4,5% na semana, mas registra perda de 17,6% neste mês. Já Petrobras ON tem ganho de 0,6% nesta semana e queda de 19,3% em junho.