ipca
0,45 Out.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Ibovespa cai com pressão do exterior em dia de baixa liquidez

Em dia marcado por uma liquidez reduzida, o Ibovespa voltou ao campo negativo com a pressão nas bolsas no exterior, que levou os investidores a seguir com as vendas nas principais ações.

O Ibovespa fechou em queda de 1,11%, aos 70.609 pontos, depois de ir à mínima nos 70.134 pontos no dia. O giro financeiro foi de R$ 7,5 bilhões, mais uma vez abaixo da média negociada em junho e no ano de 2018.

Esse não chega a ser um dos menores volumes do ano, mas tampouco o investidor mostrou grande interesse nos negócios hoje. Antes do jogo no Brasil na Copa do Mundo hoje, perto das 15h, o giro das ações do Ibovespa era de R$ 5,3 bilhões ? o que significa que pouco mais de R$ 2 bilhões entraram na bolsa daquele momento até o fim dos negócios.

Do lado positivo hoje, os investidores renovaram as expectativas quanto ao possível ganho da Petrobras com a resolução do imbróglio envolvendo a cessão onerosa. Com isso, a ON subiu 2,70% e a PN, 3,18%, maiores ganhos do Ibovespa.

Em palestra nesta tarde no Rio, o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, afirmou que a venda de até 70% dos direitos de exploração da Petrobras em áreas contratadas no regime de cessão onerosa poderia render à companhia cerca de US$ 28 bilhões. O número já era conhecido, mas o reforço das expectativas garante um fluxo maior para as ações.

Na outra ponta, porém, a maioria dos ativos da bolsa ficou no vermelho, ainda contaminada pela leitura de risco do investidor com Brasil e emergentes e em dia de perdas mais fortes na bolsas americanas. Os bancos, como Bradesco ON (-1,49%), Bradesco PN (-1,62%) e Itaú Unibanco (-1,81%), e a Vale (-0,39%) fecharam em baixa.

Outra ênfase no dia foram as ações da Eletrobras, que tiveram perdas maiores depois que Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), proferiu decisão liminar proibindo a venda de ações de companhias estatais sem aval do Legislativo.

O evento tem força para atrapalhar o já bastante conturbado processo de venda das distribuidoras da Eletrobras. O leilão para a venda está marcado para 26 de julho. A Eletrobras PNB recuou 5,05%, enquanto a ON cedeu 4,08%.

Mais Economia