ipca
-0,21 Nov.2018
selic
6,5 31.Out.2018
Topo

Eleitor desapontado faz total de votos em branco ou nulos quadruplicar

28/06/2018 12h04

Houve umaexplosão de votos em branco e nulos nesta eleição em relação a 2014, diz o gerente-executivo de Pesquisa e Competitividade da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato da Fonseca. De acordo com a pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (28), o percentual está até quatro vezes maior do que há quatro anos atrás, quando se considera o cenário. "O eleitor está desapontado", disse.

No cenário estimulado em que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é o candidato do PT, os votos em branco e nulos estão em 22%. Sem o petista, sobem para 33%. Há quatro anos, o percentual era de 8%.

Na pesquisa espontânea, sem que o instituto de pesquisa indique quem são os pré-candidatos, o percentual de votos em branco e nulos em junho de 2014 era de 16%. Pela pesquisa realizada em junho de 2018, o índice chega a 31%.

Para Fonseca, parte dos votos de Lula migraram para os nulos, o que pode indicar que o substituto sugerido pela pesquisa, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), não é tão conhecido dos eleitores do Nordeste, onde o ex-presidente tem muita força. Haddad pontua apenas 2% das intenções de voto, contra 33% do ex-presidente.

Mesmo com Lula, contudo, há índice muito maior de quem adianta que não votará em ninguém - e que é diferente dos indecisos, que ainda não escolheram. "Branco e nulo não é indeciso, é o cara que diz que vai votar branco ou nulo, ele está insatisfeito com alguma coisa", destacou o gerente-executivo da CNI.

As pesquisas anteriores já mostravam um descontentamento dos eleitores com a política, e a CNI/Ibope fez outras perguntas nessa sondagem, para tentar entender os motivos para essa insatisfação, mas o resultado ainda não está pronto e só deve ser divulgado daqui a duas semanas, informou Fonseca.

"Estamos com eleitor muito decepcionado, muito sem esperança. Com a corrupção atingindo quase todos os partidos, com os candidatos aparecendo em um ou outro processo, isso gera decepção muito grande", afirmou Fonseca. "Tudo está sinalizando que teremos, nessa eleição, percentual maior de branco e nulos, ou de abstenção, maior que na eleição de 2014", destacou, apesar de ressalvar que a campanha eleitoral pode mudar esse cenário.

Mais Economia