PUBLICIDADE
IPCA
-0,31 Abr.2020
Topo

Posso cancelar viagem por causa do coronavírus? Veja regras das aéreas

Coronavírus: Movimentação no Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos após chegada de voo chinês - Fepesil/TheNews2/Agência O Globo
Coronavírus: Movimentação no Aeroporto Internacional de São Paulo em Guarulhos após chegada de voo chinês Imagem: Fepesil/TheNews2/Agência O Globo

Vinícius Casagrande

Colaboração para o UOL, em São Paulo

29/02/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Cada companhia aérea adota sua regra para cancelamento ou remarcação da passagem
  • Mudar o bilhete é mais fácil para quem tem viagem marcada para países afetados pela epidemia
  • Diversas companhias aéreas cancelaram voos para China até o final de março e abril
  • Viagens para a Itália e Coreia do Sul podem ser alteradas, mas com restrição de datas
  • Recomendação é verificar casos específicos diretamente com a companhia aérea

A confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil aumentou a preocupação em relação a uma possível contaminação durante viagens internacionais. Com o surto se alastrando pelo mundo, muitas pessoas já pensam em cancelar suas viagens. Uma recomendação feita até mesmo pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Para quem vai viajar de férias e está preocupado com uma possível contaminação pelo coronavírus, o diretor nacional do buscador Viajalá também recomenda adiar os planos de viagem, ou, pelo menos, alterar o destino. "Viagens costumam ter como objetivo o prazer, o descanso, o relaxamento. Se o turista está com medo e vai viajar tenso, nervoso, achando que pode ser contaminado a qualquer momento, talvez seja melhor adiar os planos para não desperdiçar seu tempo e dinheiro", afirmou.

O problema é que pode não ser tão simples assim cancelar uma passagem aérea já comprada e receber o reembolso integral do valor pago, especialmente se a viagem estiver programada para locais nos quais o surto de coronavírus ainda não é intenso. Cada companhia aérea adota sua própria regra.

"O melhor é entrar em contato com a companhia aérea o quanto antes e estar atento às suas redes sociais, porque essas orientações são atualizadas constantemente, conforme o avanço da doença, e tanto as datas permitidas para trocas quanto os países de destino podem mudar a qualquer momento", afirmou o diretor do Viajalá.

Veja as regras das companhias aéreas:

Air Canada

A companhia aérea canadense está permitindo remarcação sem custo para passagens com destino final nas cidades italianas de Bolonha, Milão, Turim, Verona, Veneza, Trieste e Gênova para bilhetes emitidos até 26 de fevereiro para viagens até 9 de março. A passagem pode ser remarcada até 30 de abril.

A Air Canada também teve voos cancelados para a China, Hong Kong e Coreia do Sul. As mudanças podem se prolongar até o dia 30 de abril, dependendo do destino. A companhia criou uma página para atualizar as informações.

Veja mais informações aqui.

Air China

A companhia aérea chinesa manteve os voos entre a China e o Brasil. O avião parte de Pequim (China) e faz uma escala em Madri (Espanha) antes de seguir viagem ao aeroporto de Guarulhos, na região metropolitana de São Paulo.

Os passageiros, no entanto, podem cancelar a passagem sem custos. A regra é válida para todos os bilhetes com o número a começar em "999" (incluindo bilhetes de recompensa de milhas) adquiridos antes das 00:00 de 28 de janeiro de 2020 para voos operados pela Air China ou voos em parceria com código CA com uma data de viagem posterior a 1 de janeiro de 2020 (inclusive).

Os passageiros podem solicitar os reembolsos pelos canais originais nos quais os bilhetes foram adquiridos. Passagens compradas pelo site e aplicativo da Air China podem ser reembolsados diretamente no pedido de compra original.

Mais informações aqui.

Air Europa

A Air Auropa afirmou que adotou uma política que permite alteração de bilhetes - exclusivamente para o destino Itália. Para ter o direito, a passagem deve ter sido emitida até 23 de fevereiro e com voos até 15 de março. A marcação de nova data de voo deve ser até 15 de junho de 2020, na mesma classe do bilhete original, sem penalidade ou aplicando diferença de tarifa, se houver. Os critérios de permanência máxima e mínima, bem como reembolso, estão sujeitos às condições de tarifa.

Air France

Desde 30 de janeiro, a Air France suspendeu temporariamente seus voos para a China continental afetados pelo coronavírus. A suspensão segue até o dia 28 de março.

"A partir de 29 de março de 2020, dependendo da evolução da situação, a Air France e a KLM planejam retomar gradualmente as operações de e para Xangai e Pequim, alternando um voo diário para cada destino. Dessa forma, Xangai e Pequim serão servidos diariamente da Europa, via Paris pela Air France ou Amsterdã pela KLM, dependendo do dia da operação. Um horário normal de voo deve ser retomado a partir de 13 de abril de 2020", afirmou a empresa.

Segundo a empresa, o voo para Wuhan permanecerá suspenso.

A empresa também afirmou que está monitorando a situação na China em tempo real e trabalha em estreita colaboração com as autoridades sanitárias nacionais e internacionais desde o surto do coronavírus.

As medidas de suporte ao cliente podem ser consultadas no site da companhia aérea.

Alitalia

A companhia aérea ainda não informou regras para mudanças de voos.

American Airlines

A American Airlines atualiza as informações sobre cancelamentos de voos diariamente. Passageiros com viagem marcada para Coreia do Sul, Hong Kong, Pequim e Xangai até 24 de abril podem pedir reembolso ou remarcar o bilhete sem custos.

Viagens para a Itália programadas até 15 de março também podem ser alteradas. As cidades italianas afetadas são Bolonha, Florença, Milão, Nápoles, Turim, Veneza e Verona.

Mais informações aqui.

Azul

A Azul afirmou que está disponibilizando a opção de reembolso integral da passagem para clientes com conexão em Lisboa ou Porto, ambas em Portugal, e que tem como destino ou origem a Itália.

Em caso de dúvidas, os clientes com voos para o país podem procurar os canais oficiais de atendimento para esclarecimentos. Os números são: 4003 1118 (para capitais e regiões metropolitanas) e 0800 887 1118 (para demais regiões). Caso queira, o Cliente também pode entrar em contato com a Azul por meio do chat disponível no aplicativo da empresa.

British Airways

A British Airways cancelou todos os voos para Pequim e Xangai até 17 de abril. Os passageiros afetados podem solicitar o reembolso diretamente no site da companhia aérea. Embora continue operando voos para a Itália, os passageiros com viagem marcada até 2 de março para as cidades de Milão, Turim, Bolonha, Veneza, Bergamo e Verona podem remarcar a passagem para voar até 31 de março.

Veja mais detalhes aqui.

Delta Air Lines

A Delta afirmou que, desde janeiro, a companhia vem adotando diversas medidas que visam prioritariamente a segurança e a saúde de seus colaboradores e clientes. Os voos da companhia entre os Estados Unidos e as cidades chinesas de Xangai e Pequim foram suspensos até 30 de abril.

Nesta semana, a empresa também anunciou que está reduzindo temporariamente o número de voos semanais que opera entre os Estados Unidos e Seul-Incheon (ICN), na Coreia do Sul. A medida seguiu as orientações do CDC, recomendando que os viajantes evitassem viagens não essenciais a Seul.

Passageiros com voos para as cidades italianas de Bolonha, Milão e Veneza até 2 de março também podem alterar o bilhete sem custo extra.

A empresa tem uma página com informações atualizadas.

Emirates Airlines

A Emirates conta com uma página dentro do site com informações atualizadas sobre o Covid-19. A empresa teve voos afetados para diversos destinos, como Bahrein, Hong Kong, Irã, Arábia Saudita, China, Singapura e Tailândia. As datas e regras de remarcação mudam de acordo com o destinos. Os detalhes podem ser acessados aqui.

Ethiopian Airlines

A empresa não tem alterações em seus voos.

Gol

A Gol afirmou que opera voos internacionais apenas para os países da América do Sul, América Central, Miami (EUA) e Orlando (EUA) e que não sofreu impacto até o momento com relação ao coronavírus.

"A companhia vem seguindo recomendações do órgão sanitário e tomando as medidas cabíveis. Antes do embarque, na hipótese de um cliente com passagem pelos países impactados apresentar sintomas de gripe, e a suspeita do coronavírus se confirmar, a empresa pode impedi-lo de voar como forma de zelar pela saúde e segurança dele e dos demais viajantes, e seguirá os protocolos alinhados com o agente sanitário", disse.

Em relação aos passageiros, a Gol afirmou que cumpre todos regulamentos estabelecidos pela Anac. "A Gol comunica, ainda, que está acompanhando de perto a possível evolução do coronavírus no Brasil, e reforça que toda a sua equipe de atendimento, em solo, no ar e nos canais digitais, estão a postos para sanar quaisquer dúvidas de Clientes sobre suas viagens. Informações podem ser obtidas no site www.voegol.com.br, aplicativo e pelo telefone da Central de Relacionamento, 0300 115 2121", afirmou.

Iberia

A Iberia permitirá a alteração de bilhetes emitidos até 25 de fevereiro para embarques entre 25 de fevereiro e 15 de março, em voos para o Japão e Itália (Milão, Bolonha, Turim e Veneza). Os passageiros poderão alterar seu voo sem penalidade para até 31 de março, desde que a passagem seja para a mesma classe. Os voos para a China estão cancelados, sem data prevista de retorno. Veja mais detalhes aqui.

KLM

A KLM suspendeu o serviço para destinos na China continental desde o início de fevereiro. "A saúde dos colaboradores e dos clientes é a principal prioridade da KLM em todos os momentos", disse a empresa.

A KLM ajustará sua programação de voos para a China continental da seguinte maneira:

Estenderá a suspensão do serviço a Pequim e Xangai até 28 de março.

Os voos para Chengdu, Hangzhou e Xiamen permanecerão suspensos até 28 de março.

A empresa afirmou que está monitorando de perto o surto de coronavírus na China e está em contato próximo com várias autoridades nacionais e internacionais de saúde e aviação.

A política de remarcação anunciada anteriormente para a China permanecerá em vigor para os clientes diretamente no site da KLM.

Latam

A Latam tem voos diretos para Milão, capital da Lombardia. A região é a que concentra o maior número de casos de coronavírus na Itália. A companhia aérea afirmou que, no caso específico de Milão, a empresa está flexibilizando as regras de remarcação e reembolso para os passageiros com viagem programada ao destino, que poderão optar por uma das seguintes opções sem multa:

  • Remarcação da passagem para voar de hoje até 15 dias após a data original do voo. Remarcação sujeita a disponibilidade do voo e não se aplicam diferenças tarifárias.
  • Remarcação da passagem para voar após 15 dias do voo original. Remarcação sujeita a diferenças tarifárias e validade do bilhete.
  • Alteração da origem/destino sem multa, sujeito a diferença tarifária e validade do bilhete.
  • Reembolso sem taxa.

Passageiros que emitiram bilhetes na China também podem ter alteração sem custo dependendo do destino da viagem. As regras estão aqui.

Lufthansa

As empresas do grupo Lufthansa, que inclui também a Swiss e a Austrian Airlines, suspenderam os voos para a China e para o Irã até 28 de março. Os voos para Hong Kong serão reduzidos em março.

As passagens para Milão, Bolonha, Turim, Verona, Veneza, Trieste e Gênova podem ser remarcadas sem custo, desde que a passagem tenha sido comprada antes do dia 26 de fevereiro para voos entre 24 de fevereiro e 9 de março.

O grupo Lufthansa também pretende reduzir voos de curta e média distância. "Como resultado da situação atual causada pela disseminação acelerada do coronavírus, o Lufthansa Group decidiu tomar medidas adicionais para conter suas consequências econômicas. Dentro das próximas semanas, o número de voos de curta e média distância será reduzido em até 25%, dependendo da evolução da disseminação do coronavírus", afirmou a empresa.

A medida também deve afetar os voos de longa distância da companhia aérea alemã. A Lufthansa afirmou que já são 23 aviões de longo alcance que ficarão parados no chão. A empresa, no entanto, não divulgou quais rotas serão afetadas com a medida.

Veja as informações atualizadas aqui.

Qatar Airways

A Qatar cancelou diversos voos em virtude da epidemia de coronavírus até o dia 30 de abril. A empresa recomenda que os passageiros verifiquem o status do voo no site da companhia aérea.

Se você reservou sua passagem no site da Qatar, poderá alterar a reserva ou solicitar reembolso diretamente com a companhia aérea. Se você reservou seus bilhetes por meio de um agente de viagens, entre em contato com o agente para alterar ou reembolsar sua reserva.

TAP

A companhia aérea ainda não informou regras para mudanças de voos.

Turkish Airlines

O cancelamento de todos os voos da Turkish para a China dura somente até esse sábado (29) e a suspensão dos voos para o Irã vai até o dia 10 de março. No entanto, os passageiros com viagem marcada até 31 de março podem solicitar reembolso ou remarcar a passagem para viagens até 31 de maio.

A Turkish também está fazendo alterações em voos para a Itália, Iraque e Arábia Saudita. Para a Itália e Iraque, as mudanças podem ser feitas em voos marcados até 31 de maio. Para a Arábia Saudita, o limite é 31 de março.

O site da companhia aérea tem informações atualizadas diariamente.

United Airlines

Os passageiros com viagem marcada para a China e Hong Kong até 30 de abril podem solicitar reembolso ou remarcação do bilhete. Para a Coreia do Sul, o limite é 30 de junho.

Passageiros com voos para as cidades italianas de Bolonha, Gênova, Milão, Trieste, Turim, Veneza e Verona até 30 de abril também podem alterar a passagem ou cancelar o bilhete sem custo.

Veja as informações atualizadas aqui.

    Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
    Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
    Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

    Veja como são os pousos em alguns dos aeroportos mais assustadores

    UOL Notícias

    Todos a Bordo