PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Vocalista deixará de pilotar aeronave do Iron Maiden; conheça os aviões

O Boeing 747-400 da banda de heavy metal Iron Maiden: avião é batizado de Ed Force One - Divulgação
O Boeing 747-400 da banda de heavy metal Iron Maiden: avião é batizado de Ed Force One
Imagem: Divulgação

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

06/02/2022 04h00

A banda de heavy metal Iron Maiden tem um histórico de curiosidades à sua volta. Uma das principais é o avião em que a banda viaja para as turnês pelo mundo, o Ed Force One.

O nome é uma alusão ao mascote da banda, Eddie, e ao avião presidencial dos Estados Unidos, o Air Force One (Força Aérea Um). E ele costuma ser pilotado por ninguém menos que o vocalista da banda, Bruce Dickinson, de 63 anos.

Em entrevista no começo deste ano, o músico anunciou que deve deixar de pilotar o avião, dizendo que estaria voando no Ed Force One, mas na parte de trás, e não mais na cabine de comando. Veja a história dos aviões da banda e outras curiosidades.

"Veja, eu tenho 63 anos — farei 64 anos em agosto. Você sabe que, quando você chega aos 65, se você é um piloto de avião comercial, eles apenas te levam lá para a parte de trás e te chutam para fora, certo?", disse em tom de brincadeira.

Boeing 747 personalizado

Ed Force One - Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden - Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden
Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden, posa à frente do Ed Force One, avião personalizado da banda
Imagem: Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden

Um dos aviões que cumpriram a função de Ed Force One foi um Boeing 747 de matrícula TF-AAK alugado da Air Atlanta Icelandic. Considerado o mais icônico de todos os que já fizeram esse serviço, o quadrimotor teve a pintura e o interior personalizados para a banda.

Esse 747 foi fabricado em 2003 e tem capacidade para transportar até 465 passageiros. Nos porões do avião, é possível transportar toneladas de equipamentos e bagagens, garantindo que os shows aconteçam em qualquer lugar do mundo.

Seu alcance é de cerca de 13,5 mil km de distância, podendo chegar a qualquer lugar do mundo com apenas uma parada.

Em seu exterior, além do nome da banda, era possível ver imagens do mascote e os nomes das cidades onde o grupo se apresentava.

O código do voo do Ed Force One, quando ele estava em turnê, era o CC666. CC é o código da empresa dona do avião, e o 666 remete a uma das principais músicas da banda, "The Number Of The Beast".

Acidente no Chile

Ed Force One - Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden - Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden
Ed Force One, avião do Iron Maiden, com as cidades da turnê realizada em 2016 na fuselagem
Imagem: Divulgação/John McMurtrie/2016/Iron Maiden

Em março de 2016, o avião sofreu um acidente no aeroporto de Santiago (Chile), quando colidiu com equipamentos de solo. Naquele momento, a carenagem de dois motores ficaram danificadas.

A manutenção foi feita em nove dias, e a agenda de shows foi mantida. As duas peças de reposição pesavam cinco toneladas e custaram US$ 4 milhões à época (R$ 21,2 milhões).

A aeronave hoje voa pela companhia Air Atlanta Icelandic. Na atual turnê do grupo, a Legacy of the Beast, a banda não conta com um Ed Force One próprio, mas isso não quer dizer que ele não voltará à cena no futuro.

Consultada, a banda não confirmou se irá alugar um avião para essa finalidade nos próximos meses, mas uma coisa é certa: Bruce não será visto na cabine de comando com a mesma frequência de antes.

Antecessores

Ed Force One - Aero Icarus - Aero Icarus
Boeing 757 batizado de Ed Force One que foi utilizado na turnê mundial do Iron Maiden em 2011
Imagem: Aero Icarus

Antes do 747, outro modelo desempenhou o papel de Ed Force One em duas turnês do grupo. Dois aviões Boeing 757 transportaram a banda anteriormente, um na turnê Somewhere Back in Time (2008 e 2009) e outro na The Final Frontier (2011).

Esse modelo é menor que o 747, e também foi adaptado para atender às necessidades da banda. Nas duas ocasiões, foram escolhidos aviões que pertenciam à Astraeus Airlines, uma antiga companhia aérea britânica.

Uma dessas aeronaves acabou sendo vendida para a FedEx em 2012. A outra foi desmontada e transformada em sucata após o fim de sua vida útil.

Um dos 757 pode ser visto de perto no documentário "Iron Maiden: Flight 666" (2009), que retrata a turnê da banda e como os músicos conseguiram cumprir uma agenda apertada de shows mundo afora graças ao Ed Force One.

Fichas Técnicas

Ed Force One modelo 747
Envergadura (distância de ponta a ponta das asas): 64,4 metros
Comprimento: 70,7 metros
Altura: 19,4 metros
Peso vazio: 176 toneladas
Peso máximo de decolagem (inclui carga, passageiros e combustível): 396,9 toneladas
Velocidade: 933 km/h
Alcance: 13,5 mil km

Ed Force One modelos 757
Envergadura (distância de ponta a ponta das asas): 38,1 metros
Comprimento: 47,3 metros
Altura: 13,5 metros
Peso vazio: 57,8 toneladas
Peso máximo de decolagem (inclui carga, passageiros e combustível): 115,7 toneladas
Velocidade: 913 km/h
Alcance: 7.222 km

Veja o minidocumentário feito pela própria banda sobre o avião (em inglês):