Bolsas

Câmbio

A ironia é uma péssima ferramenta para conversas na empresa

Daniela do Lago

Daniela do Lago

A maior fonte dos problemas gerados dentro de qualquer organização é a falta de comunicação. A comunicação é como um número de telefone. Se você esquecer de discar um único digito, ou se inverter o código de área, não completará a ligação. Você precisa discar todos os números --e precisa fazer isso na ordem certa para obter sucesso.

Em minha prática com treinamentos comportamentais, ensino os profissionais a identificar e relacionar elementos para uma comunicação eficaz para que possam tirar o melhor de cada pessoa. Existem inúmeras técnicas e ferramentas. Não é simples, mas qualquer pessoa com boa vontade de aprender e se desenvolver consegue aplicar e praticar.

Para extrair o pior de qualquer pessoa basta usar a ironia.

Ironia é a utilização de palavras que manifestam o sentido oposto do seu significado literal. Desta forma, a ironia afirma o contrário daquilo que se quer dizer ou do que se pensa.

A ironia é a arte de gozar de alguém, de denunciar, de criticar ou de censurar algo ou alguma coisa. A ironia procura desvalorizar algo, incluindo também um timbre de voz para caracterizar melhor o ato.

Ironia gera confusão 

Isso faz muito sentido quando duas pessoas na empresa resolvem expor suas opiniões sobre um assunto. A ironia é uma péssima ferramenta para conversas delicadas, por exemplo sobre um erro de decisão, um problema com cliente, problema de relacionamento interpessoal e até conversa política. Neste contexto, ela pode ser encarada como deboche ou menosprezo à outra opinião.

Diante de um problema no departamento, por exemplo, ser irônico vai gerar maior confusão na empresa. Imagine uma simples conversa como: "Fulano, meu ponto é esse", "Ah, seu ponto é esse? Quem diria, hein!". Qualquer modulação do tom de voz pode ser uma afronta, pois do outro lado pode haver alguém sinceramente interessado na solução do problema. 

Quando a ironia se faz presente, não existe mais diálogo, apenas improdutividade e aborrecimento.

'Sabe tudo'

Geralmente, o profissional irônico é aquele que "pensa que sabe tudo". Esse é um especialista em exageros, meias verdades, jargões, avisos inúteis e opiniões não solicitadas.

Muitas vezes, essa pessoa carismática e entusiasmada está desesperada por atenção, e pode persuadir grupos inteiros de ingênuos e induzi-los ao erro.

Se você cair na tentação de discutir com uma pessoa irônica, ela pode elevar o tom de voz e se recusar a voltar atrás até que você pareça tão bobo quanto ela.

Como ser bem entendido

Chega de ironia e fale para ser realmente compreendido. Quando você esclarece sua intenção principal, as pessoas sabem de onde você vem. Quando o que quer comunicar fica nas entrelinhas, pode resultar em mensagens truncadas.

Explicar porque está expondo algo antes de realmente dizê-lo é um modo simples de direcionar atenção para o que deseja.

Mesmo quando escolhe bem as palavras, o tom de voz envia uma mensagem positiva ou negativa. Mensagens cujo tom de voz não combina com as palavras causam ruídos na comunicação.

Se você perceber que está enviando uma mensagem confusa, explique o que você realmente quis dizer: "Eu sei que parecia estar ironizando, mas isso só ocorreu porque esse assunto é muito importante para mim", por exemplo.

Tudo o que você diz para as pessoas pode gerar confiança ou colocá-las na defensiva.

A comunicação eficaz demanda tempo, mas é produtiva e traz melhores resultados. Tenho certeza de que até mesmo o profissional irônico quer colher bons frutos em sua carreira, não é mesmo? Portanto, chega de ironia e vamos promover o entendimento na empresa.

Gostou do artigo? Útil para alguém? Então, compartilhe!

Daniela do Lago

Daniela do Lago é especialista em comportamento no trabalho, coach de carreira, mestre em administração e professora.

UOL Cursos Online

Todos os cursos