PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Carla Araújo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

PGR pede ao STF que inquérito contra Pazuello vá para primeira instância

General Pazuello deixando uma mesa  - Pedro Ladeira/Folhapress
General Pazuello deixando uma mesa Imagem: Pedro Ladeira/Folhapress
Carla Araújo

Jornalista formada em 2003 pela FIAM, com pós-graduação na Fundação Cásper Líbero e MBA em finanças, começou a carreira repórter de agronegócio e colaborou com revistas segmentadas. Na Agência Estado/Broadcast foi repórter de tempo real por dez anos em São Paulo e também em Brasília, desde 2015. Foi pelo grupo Estado que cobriu o impeachment da presidente Dilma Rousseff. No Valor Econômico, acompanhou como setorista do Palácio do Planalto o fim do governo Michel Temer e a chegada de Jair Bolsonaro à Presidência.

Do UOL, em Brasília

24/03/2021 12h44Atualizada em 24/03/2021 18h14

Após ser exonerado do cargo nesta terça-feira, o general Eduardo Pazuello pode ter que responder ao inquérito que apura sua gestão durante a pandemia do coronavírus na primeira instância.

Ao deixar de ser ministro, Pazuello perdeu o foro privilegiado. Com isso, a Procuradoria-Geral da República pediu ao STF (Supremo Tribunal Federal) a mudança de instância para a Justiça Federal no Distrito Federal.

Caberá ao relator do inquérito, ministro Ricardo Lewandowski, decidir se o processo continuará no Supremo ou mudará de instância.
Segundo assessoria da PGR, esse tipo de pedido é "praxe"

Lewandowski abriu o inquérito contra Pazuello em janeiro para apurar uma suposta omissão do então ministro da Saúde na gestão da pandemia do Covid-19 em relação ao colapso da saúde pública em Manaus. Na ocasião, o ministro do STF atendeu a pedido de apuração do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Depois que decidiu tirar Pazuello do comando do Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro chegou a pensar em criar um novo ministério, que cuidaria justamente da Amazônia, para abrigar o general e manter o foro. A ideia, porém, não prosperou.

A ideia que ainda continua sendo avaliada no governo é de entregar a Pazuello o comando do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI).

No início da noite, o ministro Lewandowski determinou o envio do inquérito à primeira instância.

PUBLICIDADE