PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Cashback: ganhe dinheiro de volta em cada compra

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

18/08/2020 04h00

Em tempos de compras pela internet crescendo muito - o varejo online ganhou 5,7 milhões de consumidores nesta quarentena -, você sabia que é possível ter parte do seu dinheiro de volta em cada compra? É o chamado cashback, que em português significa, literalmente, "dinheiro de volta".

Eu sou Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, e neste artigo, assim como no vídeo acima, vou explicar o cashback além de como você pode conseguir esta espécie de desconto.

Afinal, em um momento em que não podemos (ou deveríamos) sair de casa é natural que passemos a comprar mais pela internet. E este tipo de consumo além de trazer a vantagem de comparação de preços na hora pode ter outros benefícios, como é o caso do cashback.

Como funciona

O uso do cashback é bem comum nos EUA e, basicamente, funciona como uma espécie de fidelidade. Você se cadastra em um site de cashback e encontra várias lojas parceiras. O cashback geralmente é mostrado como um porcentual do valor da compra que você terá de volta.

Ao clicar na loja escolhida, a pessoa é direcionada para o site de compras e pode seguir adquirindo o que quiser.

Vale ressaltar que para ter direito ao cashback não adianta ir no seu buscador e entrar direto na loja. Você precisa clicar no link que está no site de cashback ou, se a empresa tiver plugin, estar com a funcionalidade ativada no Google Chrome ou no navegador de internet que utilizar.

Após finalizar a compra, seu dinheiro passa a acumular no site de cashback e quando você juntar uma quantia mínima pode transferir para a sua conta.

Como a empresa de cashback ganha

Quando a esmola é demais, o santo desconfia. Mas não se preocupe que a operação de cashback de fato existe e você vai entender porque é interessante para todos os envolvidos.

Ao te direcionar para o site de compras, a empresa de cashback na verdade está conseguindo um cliente para o e-commerce. Assim, o varejista paga uma comissão, um mecanismo meio parecido do que acontece nos anúncios pagos, por exemplo.

A empresa do cashback pega essa comissão e repassa parte dela para você, retornando um pedaço do valor da compra. Assim, todo mundo sai ganhando: o varejista consegue chegar a mais pessoas e ganhar clientes, você ganha um "desconto" e a empresa de cashback recebe uma comissão.

Quais são as empresas

Alguns dos sites, com milhares de empresas parceiras, são Meliuz e Cuponomia. No Meliuz, há mais de 1.600 lojas parceiras e ao juntar R$ 20 a pessoa já pode solicitar o resgate, sem custo adicional.

Na Cuponomia, há cupons e cashback em 2.000 lojas. O valor mínimo para solicitar o resgate também é de R$ 20 e não há custo na transferência.

Há ainda o My Cashback, o qual, além do cashback, você ganha R$ 5 para cada amigo indicado.

O modelo tem dado tão certo que algumas varejistas também têm apostado nele. O Magazine Luiza, por exemplo, agora também tem cashback em compras feitas pelo aplicativo da empresa.

De quanto é o cashback?

O porcentual varia conforme a lojista, mas peguei um exemplo para ficar mais simples. Na Cuponomia, o cashback da Amazon estava em 3%. E esse é o mesmo porcentual para o cashback do Submarino oferecido pelo Meliuz.

Parece pouco, mas se você gasta R$ 500 por mês entre presentes, roupas, tênis, maquiagem, livros e outros, em um ano, já seriam R$ 180 de volta. Isso sem falar em compras esporádicas que você pode ter de fazer, como uma troca de celular ou de um móvel.

Em qual se inscrever

Na dúvida, sugiro a inscrição em mais de uma empresa por três motivos:

  1. O preço é diferente nas lojas. Na hora da compra, você pode ver em qual compra pagará menos.
  2. O cashback de uma mesma loja às vezes muda entre um site e outro.
  3. Em algumas lojas, a empresa pode oferecer além do cashback cupons de desconto a depender da parceria.

Não tem jeito! É preciso colocar tudo na ponta do lápis para ver em qual site fica mais barato.

Já conhecia o mecanismo de cashback? Se não, pretende usar? Deixa um comentário contando o que achou. Conte nos comentários ou fale com a gente no nosso canal do YouTube, Instagram e LinkedIn. Também é possível ouvir nossos podcasts no Spotify. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.