PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Saiba quanto tempo Anitta, Elon Musk e você levam para ganhar R$ 1 milhão

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

07/05/2022 04h00

Depois de se tornar uma das cantoras mais ouvidas do país, conquistar um cargo no Conselho do Nubank, rankear no top 1 do Spotify mundial, Anitta participou há algumas semanas do Coachella, o maior festival de música do mundo. Já Elon Musk ganhou o noticiário após comprar o Twitter. A coluna de hoje faz a conta de quanto tempo leva para as personalidades ganharem R$ 1 milhão, assim como traz um plano para você.

Tudo o que Anitta toca vira hit, que por sua vez vira ouro. Por isso mesmo, a fortuna da cantora é de se invejar. Segundo a revista Forbes, a artista acumula um patrimônio avaliado em US$ 100 milhões, cerca de R$ 553 milhões. Com isso, já passou ícones como Eddie Vedder, do Pearl Jam, e a rapper Nick Minaj.

Por ser um valor tão alto, a gente perde a noção de quanto ele representa. Para traduzir, se ela parasse e aplicasse toda a fortuna em algo conservador, um investimento de renda fixa que pague 1% ao mês, o que está bem fácil de achar nesses tempos de juros em alta, Anitta ganharia R$ 5,5 milhões por mês.

Com o mês de 30 dias, isso seria R$ 184 mil por dia mais ou menos. Em cinco dias e meio já teria mais um milhão na conta.

Se isso te espanta, olhe o cálculo para outras personalidades: Neymar ganha a quantia em um dia e meio e o bilionário Elon Musk, dono da Tesla, em dois minutos.

Nossa realidade

Quanto tempo você acha que demoraria para juntar R$ 1 milhão? Não querendo te decepcionar, mas quando estamos falando do brasileiro comum, não vamos conseguir em alguns minutos ou dias como Anitta, Neymar e Elon Musk.

No nosso caso, estamos falando de meses e, na maioria das vezes, de anos de investimento. Para fazer o cálculo, mostramos uma planilha no vídeo acima.

Considerando uma rentabilidade de 10% ao ano (hoje a taxa Selic está bem acima disso, mas nos investimentos há desconto de Imposto de Renda) e que você possa investir R$ 1.000 por mês em 23 anos consegue juntar o valor.

Se consegue aplicar menos (R$ 500 por mês), há duas opções: conseguir melhores taxas de rentabilidade, algo que não é tão simples, ou alongar o prazo. Se mantivermos os mesmos 10% de ganho ao ano, em 30 anos atinge a quantia.

Há quem queira juntar o valor em menos tempo. Se quiser acumular R$ 1 milhão em 15 anos, teria de aplicar R$ 2.500 todo mês a uma taxa de 10% ao ano.

Como conseguir?

Você já deve ter percebido a dificuldade: estamos falando de investir por décadas. A regularidade é superimportante e também uma barreira. Muita gente desiste no meio do caminho.

A primeira dica para que isso não aconteça é enxergar as finanças como um tripé. O primeiro pilar é tentar gastar menos porque se economizar consegue juntar mais dinheiro no fim do mês.

O segundo pilar das finanças é ganhar mais. Muita gente se preocupa só em cortar gastos, mas às vezes você já está vivendo no limite. O que precisa é melhorar quanto ganha. Nesse caso, vale pensar em formas criativas de ter renda extra, um segundo emprego ou mesmo em como crescer no emprego que já tem.

O terceiro pilar, claro, é investir melhor. Parece besteira, mas muita gente ainda hoje fica na poupança, por preguiça e medo. Quando falamos de investir por décadas, uma diferença mínima de rentabilidade faz muita diferença de quanto você acumula lá na frente.

Onde investir?

Além de Tesouro Direto, atualmente CDBs têm oferecido bons retornos. No vídeo abaixo separamos as três melhores rentabilidades que encontramos no mercado.

Assista ao vídeo e não se esqueça da novidade: o Econoweek está concorrendo ao prêmio iBest na categoria Investimentos. Se achar nossos conteúdos bacanas, pode contribuir com seu voto.