PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

5 lições de investimentos que aprendi em Stranger Things

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

14/05/2022 04h00

Finalmente, depois de quase 3 anos, vai estrear, no fim de maio, a quarta temporada de Stranger Things, uma das séries de maior sucesso da Netflix. São 9 episódios, um a mais do que na temporada passada, e com mais de uma hora cada um. A expectativa é grande, pois muitas perguntas ainda não foram respondidas. Como nossa praia é finanças, a coluna separou cinco lições de investimentos que aprendemos com Stranger Things

A novidade desta temporada é que ela será lançada em dois dias: em 27 de maio e em 1º de junho. Enquanto a estreia não vem, vamos para as lições.

Não desista

A primeira lição é não desistir e ela começa antes mesmo de você ver a série. Os criadores de Stranger Things, os irmãos Duffer, ouviram mais de 20 "nãos" de produtoras e TVs antes de fecharem a produção da série com a Netflix. Muita resiliência!

Nos investimentos também é preciso persistir. Quantas vezes você não se deparou com um prejuízo no investimento, mas seguia acreditando que era uma boa aplicação, só estava em um mau momento? Quantas vezes teve um imprevisto e as contas apertaram?

Nessa hora, não desista! Siga investindo, mesmo que pouco, porque uma hora o jogo vira a seu favor.

Tenha aliados

Um dos pontos cativantes da série é a união das crianças. Eles são amigos desde pequenos, fazem tudo juntos e se complementam para enfrentar o monstro Demogorgon.

Tem o pessoal mais nerd, a Eleven, que tem poder, e tem uma galera mais corajosa. Formam um verdadeiro grupo.

Nas finanças, você não tem que estar sozinho para investir. Entre os aliados, há amigos que também falam sobre investimentos e com quem você se sente confortável de conversar sobre isso, há canais no YouTube como o Econoweek, há casas de análise como a Suno e alguns sites de notícias.

Hoje em dia há muita informação sobre investimentos. Confesso que são tantas que algumas até acabam atrapalhando. Então, selecione quem vai ser seu aliado e siga estudando e aprendendo por lá.

Tenha um plano

De nada adianta ter aliados sem um bom plano, ou seja, traçar o objetivo. Na série, o objetivo é claro: fechar o portal para o mundo invertido e derrotar o monstro. O grupo estuda o que vai fazer, coloca no papel e define onde cada um vai estar. Pensam em tudo!

Nos investimentos, você tem de refletir qual o seu objetivo, quando vai precisar do dinheiro, qual risco aceita correr, onde vai aplicar, quanto vai investir por mês, entre outras coisas.

Se você não tiver um plano, pode não perceber a evolução e acabar desistindo. Vai andar em círculos. Também pode investir em aplicações que não fazem sentido e se dar mal.

Calcule o risco

A galera de Stranger Things não sai lutando contra o Demogorgon do nada. Só depois de traçar um plano e o risco de dar errado eles saem para a ação.

Nos investimentos, você também precisa entender qual risco aceita correr. Existem desde aplicações ultrasseguras até aquelas que possibilitam maiores ganhos, mas que também têm maior risco de perdas.

Se você não entende o risco pode se assustar no primeiro sobe e desce e nunca mais aplicar no investimento por achar que ele é ruim. Na verdade, ele pode só não estar adequado ao seu plano e perfil.

Mude o plano se precisar

A quinta lição é que, mesmo estudando bastante, às vezes o plano vai sair do controle e você precisa se adaptar. Na série, já aconteceram algumas mortes. Na última temporada, foi a vez do policial Hopper.

Nos investimentos, você precisa ter um plano, mas também ser flexível em alguns momentos. Há até uma expressão entre especialistas: "casar com o investimento". Há quem aplique em algo e, mesmo quando o negócio não vai bem, continua investimento na esperança de um dia dar certo.

Tem hora que você tem de ter paciência, mas tem hora que precisa ter coragem para agir. O que separa o bom do mau investidor é saber distinguir as duas situações.

Como fazer um plano?

Para ajudar no seu plano de investimento, vamos deixar um vídeo em que a gente mostra exatamente quanto você tem que aplicar por mês e por quanto tempo pra juntar R$ 1 milhão. Sabia que a Anitta ganha isso em alguns dias? E o Elon Musk, que ganha em alguns minutos?

O vídeo está logo abaixo, mas antes vamos contar uma novidade: o Econoweek está concorrendo ao prêmio iBest na categoria Investimentos. Se achar nossos conteúdos bacanas, pode contribuir com seu voto.