PUBLICIDADE
IPCA
1,06 Abr.2022
Topo

Econoweek

OPINIÃO

Texto em que o autor apresenta e defende suas ideias e opiniões, a partir da interpretação de fatos e dados.

Quanto pagam os CDBs mais rentáveis do mercado?

Conteúdo exclusivo para assinantes
Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

03/05/2022 04h00

Você já se perguntou qual o melhor investimento, ou melhor, qual o título bancário mais rentável disponível atualmente? A gente fez a pesquisa e mostra no vídeo abaixo.

O que é CDB?

A sigla CDB significa Certificado de Depósito Bancário. Nada mais é do que um investimento em que você empresta dinheiro ao banco. O banco, por sua vez, usa o valor para pagar contas, fornecer crédito a quem está procurando, entre outras coisas.

A instituição se compromete a devolver o dinheiro a você acrescido de juros daqui certo tempo. A rentabilidade é justamente essa taxa de juros, o "pagamento" que você irá receber.

Como o CDB é um empréstimo que você, investidor, faz ao banco, instituições médias e pequenas costumam oferecer melhores taxas para captar recursos.

Por isso, é superimportante se cadastrar em uma corretora porque lá você irá encontrar várias instituições, assim ficam mais fáceis a pesquisa e a comparação de CDBs.

Em bancos médios, você encontra CDBs que pagam mais que 100% do CDI. Já em grandes instituições, a taxa pode ficar em 80% e até abaixo disso.

Como rende?

Os CDBs podem render de três jeitos. Há os prefixados, aqueles em que o juro é fixo e o retorno não muda. A segunda opção são os de inflação, que pagam um juro fixo mais a inflação do período em que você investir, geralmente medida pelo IPCA.

Mas o terceiro tipo, o pós-fixado, é o mais comum quando falamos de CDBs com liquidez diária, aquele no qual você pode resgatar o dinheiro em qualquer dia.

No CDB pós-fixado, a rentabilidade é um percentual do CDI, que nada mais é do que uma taxa de juro. Na tela da corretora, você vai encontrar algo como 100% do CDI, 95% do CDI, e por aí vai.

Traduzindo, se o CDI estiver em 12% ao ano e o CDB render 100% do CDI, o retorno vai ser de exatamente 12% ao ano. Mas se o CDB render um porcentual um pouco menor, como 95% do CDI, o rendimento vai ficar um pouquinho abaixo do CDI.

O que você precisa saber é que o juro CDI anda subindo há um tempo e no curto prazo tende a permanecer em um patamar elevado.

Melhores CDBs do mercado

Para a pesquisa, utilizamos uma plataforma de investimentos que traz várias opções do mercado. Em terceiro lugar ficou um CDB que rende 105% do CDI e vence em um ano. Se você aplicar R$ 1.000, vai resgatar R$ 1.105, já descontando o Imposto de Renda.

Na poupança, o retorno seria de R$ 73.

O segundo colocado, na verdade, é um empate com o terceiro. Ficou com um investimento que rende os mesmos 105% do CDI.

Em primeiro lugar, a rentabilidade melhora um pouco: 110% do CDI. Em termos práticos, se investisse R$ 1.000, no fim teria R$ 1.110.

Ganha da poupança

A diferença parece pouca, mas porque estou falando de um investimento único de R$ 1.000. Se você aplicasse R$ 1.000 por mês, a diferença de rentabilidade para a poupança já daria para pagar um streaming mensalmente.

Quanto mais dinheiro, tempo e maior regularidade dos investimentos, maior será a diferença entre esses CDBs e a poupança.

Além de CDBs, há outras opções para quem quer sair da poupança. No vídeo abaixo, contamos o que fazer, por exemplo, com o dinheiro do saque emergencial do FGTS.

Assista ao vídeo e não se esqueça da novidade: o Econoweek está concorrendo ao prêmio iBest na categoria Investimentos. Se achar nossos conteúdos bacanas, pode contribuir com seu voto.