PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Econoweek

Renda mensal com dividendos: quanto as ações pagam?

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone

Yolanda Fordelone é economista e jornalista, teve passagens por grandes jornais nas áreas de economia e finanças, foi professora em um curso de graduação em Economia e hoje coordena uma equipe em um aplicativo de gestão financeira. Além disso, se dedica às finanças pessoais no Econoweek.

05/11/2020 04h00

Neste ano, a Bolsa bateu a incrível marca de mais de 3 milhões de pessoas físicas investindo. Muitas entram em busca de ganhos "fáceis", mas há o grupo mais racional que busca ter retornos constantes e persistentes ao longo dos anos, seja para complementar a renda ou para um dia, quem sabe, viver exclusivamente dos investimentos.

Nesta segunda situação, um indicador conhecido, o dividend yield, é um importante aliado na hora de construir cenários. No vídeo acima, eu, Yolanda Fordelone, economista do Econoweek, a tradução da economia, explico dois cálculos que podem ser feitos a partir dele:

  • quanto a sua carteira renderia mensalmente em dividendos,
  • e qual deveria ser o tamanho da sua carteira para ter uma renda mensal em um valor que quiser, como R$ 5 mil.

Mas vamos entender este indicador.

Dividendos e dividend yield

Os dividendos são a parte do lucro das empresas que são distribuídos aos acionistas periodicamente. Há empresas que pagam a cada trimestre, outras mensalmente.

A partir deste volume pago se faz o cálculo do dividend yield, representado em porcentual. O DY, como também é conhecido, representa o quanto do preço atual da ação da empresa retornou ao investidor em forma de dividendos ou de juros sobre capital próprio (outra maneira de distribuir resultados). Isso considerando os últimos 12 meses.

Em um cálculo simples, uma companhia cuja ação custa R$ 50 e possui um DY de 10% retornou ao acionista R$ 5 nos últimos 12 meses.

Pela Lei de Sociedades por Ações (6.4040/76), as companhias abertas devem distribuir no mínimo 25% do lucro líquido aos acionistas. A diferença entre dividendos e juros sobre capital próprio é que no primeiro é a companhia quem arca com o imposto. No segundo caso, a distribuição do resultado é lançado no balanço como despesa, sendo que é o investidor quem paga o Imposto de Renda de 15%.

Tamanho da carteira

Selecionei sete empresas boas pagadoras de dividendos abaixo, juntamente com o dividend yield e o tamanho da carteira necessário para uma renda mensal de R$ 5 mil considerando o cenário atual.

Obviamente, o preço das ações e, consequentemente, o dividend yield, mudam. O investidor que pretende construir uma carteira voltada a ter bons dividendos precisa, assim, rever a estratégia de tempos em tempos. Dois sites que podem ser fontes de informação para descobrir o dividend yiel são o Análise de Ações e o o Suno Reasearch.

BB Seguridade (BBSE 3)
16,20%
R$ 370.370,00

Taesa (TAEE11)
8,50%
R$ 705.882,00

AES Tietê (TIET3)
7,80%
R$ 769.231,00

Transmissão Paulista (TRPL4)
5,80%
R$ 1.03 mi

Itaúsa (ITSA4)
5,60%
R$ 1.07 mi

Cyrela Realty (CYRE3)
5%
R$ 1.20 mi

Sanepar (SAPR4)
4,10%
R$ 1.46 mi

Se quiser entender o cálculo e aprender mais sobre dividend yield, veja o vídeo acima. Você já investe em ações? Deixe um comentário ou tire sua dúvida pelo nosso canal do YouTube e Instagram.

O conhecimento é sempre uma saída!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL.