IPCA
0,83 Abr.2024
Topo

Todos a Bordo

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Virgin Atlantic: conheça a aérea que virou piada por comercial sobre SP

Virgin Atlantic: Empresa britânica foi alvo de críticas por propaganda que estereotipa o Brasil - Virgin Atlantic
Virgin Atlantic: Empresa britânica foi alvo de críticas por propaganda que estereotipa o Brasil
Imagem: Virgin Atlantic

Alexandre Saconi

Colaboração para o UOL, em São Paulo

10/06/2023 04h00

Receba os novos posts desta coluna no seu e-mail

Email inválido

A companhia aérea britânica Virgin Atlantic anunciou nesta semana em suas redes sociais que irá voar para o Brasil. A propaganda, entretanto, foi criticada e virou alvo de piadas. Tudo pelo fato de que o vídeo, estrelado por Juliana Paes, foi considerado estereotipado ao retratar o voo a São Paulo como sendo destino para a "casa do samba, caipirinhas, praias". Conheça a história da empresa.

Voo para ver namorada cancelado 'criou' empresa

A Virgin Atlantic nasceu em 1984, no Reino Unido. Ela foi fundada pelo bilionário Richard Branson em conjunto com um advogado e um piloto que já tinham iniciado os trabalhos para lançar uma aérea.

A ideia de criar a empresa surgiu em 1982, quando Branson aguardava um voo para visitar a namorada. Branson sairia de Porto Rico com destino às Ilhas Virgens Britânicas. No destino, sua então namorada, Joan Templeman (com quem é casado hoje), aguardava por ele. O bilionário já estava havia três semanas sem ver a namorada.

Diante do cancelamento do voo, ele resolveu fretar um avião para fazer o trajeto. Ele procurou uma lousa no aeroporto e escreveu o destino e o preço. Ele se dirigiu até os passageiros do mesmo voo que havia sido cancelado para saber quem iria com ele.

Algumas pessoas se interessaram e embarcaram com o bilionário. Após o pouso, uma delas disse que, se ele melhorasse um pouco o serviço oferecido a bordo, ele poderia entrar no ramo da aviação.

Fui para os fundos do aeroporto. Aluguei um avião. Dei a eles meu cartão de crédito, torcendo para que não fosse recusado, peguei emprestado uma lousa e escrevi como uma piada: 'Virgin Airlines: voo só de ida para as Ilhas Virgens [Britânicas] por US$ 39'. Fui até os passageiros que não iriam mais voar e enchi meu primeiro avião."
Richard Branson

branson - Virgin Atlantic - Virgin Atlantic
O excêntrico bilionário Richard Branson, um dos fundadores da Virgin Atlantic
Imagem: Virgin Atlantic

O começo: um único 747

No dia seguinte, o bilionário ligou para a fabricante Boeing dizendo que teve uma experiência ruim e que pensava em criar uma empresa chamada Virgin. "Vocês têm um Boeing 747 de segunda mão à venda?", disse.

Ideia de aérea ainda demoraria um pouco ainda para sair do papel. Branson foi contatado tempos depois por um advogado dos Estados Unidos chamado Randolph Fields, que havia estruturado uma aérea chamada British Atlantic Airways em parceria com o piloto Alan Hellary.

Fields propôs ao fundador da Virgin participar da criação da nova empresa. Com os trabalhos já avançados dos criadores da British Atlantic, Branson aceitou a proposta e a empresa foi rebatizada de Virgin Atlantic.

Virgin Atlantic - Virgin Atlantic - Virgin Atlantic
Richard Branson (à direita), um dos fundadores da Virgin Atlantic, na década de 1980
Imagem: Virgin Atlantic

Em 22 de junho de 1984, foi realizado o voo inaugural saindo da Inglaterra com destino ao aeroporto de Newark, cidade vizinha a Nova York, nos EUA. O avião era justamente um Boeing 747, apelidado de Maiden Voyager (Dama Viajante).

Desde então, a empresa cresceu fortemente, se tornando uma das maiores do Reino Unido. Após desentendimentos, Fields saiu da empresa.

Curiosidades

Virgin Atlantic - Reprodução/Twitter - Reprodução/Twitter
Comissários da Virgin Atlantic podem exibir tatuagens enquanto usam o uniforme da aérea
Imagem: Reprodução/Twitter
  • Os aviões da empresa são batizados com nomes de mulheres ligadas à cultura, "sejam elas reais ou imaginárias", como a empresa descreve: Uptown Girl, Penny Lane, Eliza Doolittle, Billie Holiday, West End Girl, entre outras
  • É necessário que os tripulantes usem relógio de pulso durante os voos e, se for um smartwatch, precisa ter um mostrador de ponteiros também. Isso se deve ao fato de que alguns procedimentos de segurança da empresa precisam ser feitos em sincronia por toda a equipe
  • Se um dos tripulantes estiver sem o relógio, pode até ser impedido de voar
  • Para saber se a temperatura das refeições está adequada, os comissários usam uma espécie de palito sensível ao calor
  • Se a comida não estiver na temperatura certa por dentro, ela volta para o forno
  • Comissários da empresa podem exibir suas tatuagens, não sendo necessário escondê-las
Virgin Atlantic - Divulgação/Virgin Atlantic - Divulgação/Virgin Atlantic
Primeiro Airbus A350-1000 da Virgin Atlantic, apelidado de Red Velvet (veludo vermelho), em 2019
Imagem: Divulgação/Virgin Atlantic

Números da empresa

  • Cerca de 4.500 pilotos e comissários (ao fim de 2022).
  • 41 aeronaves ao todo: 17 Boeings 787-9, dez Airbus A350-1000, dez A330-300 e quatro A330-900.
  • Em 2022, foram transportados 4,4 milhões de passageiros pela companhia; em 2019, último ano antes da pandemia, esse número foi de 5,7 milhões
  • A empresa tem 49% de suas ações pertencentes à norte-americana Delta, enquanto 51% permanecem em posse do grupo Virgin.
  • A empresa ficou em 19º lugar no ranking das melhores empresas aéreas de 2022 do World Airline Awards, considerado o Oscar da aviação
  • Entre os principais destinos partindo da Inglaterra estão: Barbados, Johanesburgo (África do Sul), Los Angeles (EUA), Miami (EUA), Nova Déli (Índia), Orlando (EUA), Tel Aviv (Israel) e Washington (EUA)

Primeira vinda ao Brasil

virgin atlantic - Alexandre Doumenjou/Airbus - Alexandre Doumenjou/Airbus
Avião A350-1000 da Virgin Atlantic em julho de 2019
Imagem: Alexandre Doumenjou/Airbus

A empresa chegou a anunciar que realizaria voos da Inglaterra para o Brasil a partir de março de 2020. Com o avanço da pandemia de covid-19, os planos foram postergados.

Em maio de 2020, os contratos com as equipes brasileiras foram rescindidos, mesmo com o voo inaugural tendo sido remarcado para outubro daquele ano. No fim de 2022, a empresa fez uma reunião com o governo onde demonstrou interesse em retomar os planos de voar para o país.

Polêmica com anúncio

Juliana Paes, que estrela a peça publicitária da Virgin Atlantic, se manifestou sobre as críticas a ela. A atriz disse que tudo havia sido planejado antes da pandemia, e que era para ser uma comédia, mas o resultado depois do tempo passar "não ajudou".

A atriz ainda diz que o objetivo da campanha era satirizar esses estereótipos. Algo que não seria estranho para uma empresa pertencente ao excêntrico Richard Branson.

Até mesmo o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, aproveitou a polêmica para promover a cidade. "Eles fazem o voo para São Paulo mas vendem o Rio", disse o político, dizendo que a empresa tinha de ser processada por propaganda enganosa.