Bolsas

Câmbio

Dólar sobe 1,54%, maior alta em três semanas, e fecha a R$ 3,255

Do UOL, em São Paulo

dólar comercial fechou esta terça-feira (4) em alta de 1,54%, a R$ 3,255 na venda, após duas quedas seguidas. É a maior alta percentual diária desde 13 de setembro, quando o dólar havia subido 2,09%. 

Na véspera, a moeda norte-americana havia caído 1,42%, ao menor valor desde 22 de agosto. No ano, o dólar acumula queda de 17,55%. 

Juros nos EUA

Segundo analistas, a alta do dólar hoje é um movimento de "ajuste" devido à queda expressiva da véspera. Investidores aproveitaram o preço mais baixo para comprar dólar. Com uma procura maior, o preço tende a subir.

Além disso, o movimento aqui no Brasil acompanhou a alta do dólar nos mercados externos.

Declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) contribuíam para influenciar a alta do dólar no exterior. O presidente do Fed de Richmond, Jeffrey Lacker, disse nesta terça-feira que o Fed não deveria subir os juros tão gradualmente.

Na segunda-feira (3), a presidente do Fed de Cleveland, Loretta Mester, já havia defendido aumento de juros.

"Embora ele não tenha voto este ano no Fomc, (Lacker) é mais um dirigente a falar sobre o aumento dos juros e isso influencia", disse o diretor de uma corretora à agência de notícias Reuters. Juros mais altos nos Estados Unidos poderiam atrair para lá recursos atualmente investidos em outros países onde os rendimentos são maiores, como é o caso do Brasil.

Declarações do presidente do BC

No Brasil, o dólar também foi influenciado por declarações do presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, sobre swap cambial (negociação de dólar no mercado futuro).

Ele disse que o câmbio não está sendo utilizado como instrumento para controlar a inflação. Segundo ele, se assim fosse, o BC não estaria reduzindo o estoque de swaps.

"O mercado entendeu que se o BC quisesse que o dólar caísse, não faria o swap reverso (compra futura de dólares) e deixaria o dólar afundar", afirmou o diretor de operações de uma corretora à Reuters.

Ilan falou ainda que o BC está em processo de redução dos swaps cambiais –o que significa uma menor intervenção no mercado de câmbio.

Atuação do BC

O Banco Central brasileiro atuou no mercado de câmbio nesta terça-feira. Como nas últimas sessões, o BC ofertou 5.000 contratos de swap cambial reverso (equivalentes à compra futura de dólares). Todos foram vendidos.

(Com Reuters)

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos