IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Cotações


Dólar opera em alta, acima de R$ 4,15, e Bolsa cai após decisão do STF

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 10h21Atualizada em 08/11/2019 17h01

Resumo da notícia

  • O dólar comercial opera em alta de mais de 1% nesta tarde
  • Por volta das 14h50, a moeda norte-americana era cotada a R$ 4,154 na venda
  • O Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, caía 0,98%, a 108.504,42 pontos

O dólar comercial opera em alta de mais de 1% no início desta tarde, após o STF (Supremo Tribunal Federal) vetar a prisão após a condenação em segunda instância.

Por volta das 14h50, a moeda norte-americana subia 1,49%, a R$ 4,154 na venda, enquanto o Ibovespa, principal índice da Bolsa brasileira, se desvalorizava 0,98%, a 108.504,42 pontos.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para turistas, o valor sempre é maior.

Decisão do STF

O dia deve ser marcado pela desconfiança política após decisão do STF, que beneficia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba desde o ano passado. Lula cumpre pena após condenação em segunda instância no caso do tríplex do Guarujá.

Ontem, por seis votos a cinco, o STF retomou entendimento de que réus só podem cumprir pena depois de esgotados todos os recursos. Com isso, Lula poderá ser solto.

"Os ruídos políticos trazem uma certa cautela em semana marcada pelo leilão decepcionante do pré-sal", disse Pablo Spyer, diretor da Mirae Assets à agência de notícias Reuters. "Diminuiu o ímpeto otimista da queda do dólar."

Nesta sexta-feira, a corretora H. Commcor afirmou em nota que "as reações no mercado tendem a ser negativas, tanto pela sensação de insegurança jurídica quanto pelo chamado 'risco Lula'".

"Nesse último aspecto, deve-se expor primeiramente a potencial instabilidade política adicional que a esquerda [fortalecida] promete, tanto em atritos com a atual gestão [politicamente fraca] quanto em termos da disputa presidencial para 2022", disse.

Guerra comercial

O exterior também afeta o mercado, com incertezas sobre um acordo entre Estados Unidos e China.

Declarações de autoridades dos EUA e da China geraram altas expectativas sobre o acordo comercial entre os países para reverter as tarifas sobre os produtos um do outro. Mas, segundo a agência de notícias Reuters, autoridades da Casa Branca se opõem à revogação de tarifas sobre Pequim.

(Com Reuters)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Entenda como funciona o câmbio do dólar

UOL Notícias

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Cotações