PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Cotações

Dólar tem 3º dia seguido de queda e fecha a R$ 5,255; Bolsa fica estável

O valor do dólar hoje representa uma queda de 0,22% na variação diária da moeda - Getty Images
O valor do dólar hoje representa uma queda de 0,22% na variação diária da moeda Imagem: Getty Images

Do UOL, em São Paulo

18/05/2021 17h27Atualizada em 18/05/2021 17h55

O dólar fechou o dia de hoje a R$ 5,255 e registrou o seu terceiro dia consecutivo de queda, tendo uma desvalorização de 0,22% em relação a ontem.

Já o Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira, terminou estável a sessão de hoje, com 0,03% acima do registrado ontem, com 122.979,96 pontos.

Considerando a variação semanal, a queda da moeda americana é de 0,31%. Ao longo do mês, o dólar caiu 3,27%. Porém, ao observar a variação anual, o valor da divisa subiu 1,27%.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto.

A pequena alteração do dólar frente ao real se deve à fraqueza global da moeda em meio a apostas de manutenção de juros nos Estados Unidos sendo compensada pela cautela dos investidores domésticos em dia de mais depoimentos à CPI da Covid-19 no Senado.

No Brasil, todos os olhares se voltaram para Brasília em dia de depoimento do ex-chanceler Ernesto Araújo na CPI da Covid, com a investigação em busca de respostas e explicações sobre a condução da diplomacia brasileira durante a crise sanitária.

Bolsa de valores

O Ibovespa fechou o dia a 122.979,96 pontos. A variação ficou perto da estabilidade em 0,03%. Ao longo do dia o Ibovespa ficou hesitante após três pregões seguidos de alta.

Os destaques ficaram com Cielo (CIEL3), que teve a maior alta do dia, com um crescimento de 4,35%, e EZ TEC (EZTC3), ativo que mais caiu hoje, com uma redução de 5,21%.

Outros destaques do dia incluem a CSN que pediu registro de IPO para sua unidade de cimentos. Por outro lado, o viés de alta de Wall Street atuava como contrapeso a movimentos de realização de lucros.

(com Reuters)

Cotações