IPCA
0,51 Nov.2019
Topo

Empreendedorismo


Vai comprar uma franquia? Antes, veja 10 recomendações e cuidados a tomar

iStock Photo
Imagem: iStock Photo

Claudia Varella

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/03/2019 04h00

Pensando em comprar uma franquia e ter seu próprio negócio? Antes de assinar o contrato, você deve tomar alguns cuidados e seguir algumas recomendações, para que o sonho não vire arrependimento.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), André Friedheim, riscos são inerentes a qualquer negócio, independentemente do tamanho da franquia (microfranquia tem investimento inicial de até R$ 90 mil).

Pense que você não está comprando um item descartável, mas um projeto de vida, de longo prazo e que envolve diversas variáveis. Não existem negócios sem riscos, mas você precisa conhecê-los, avaliá-los, e ponderar se está preparado para se tornar um franqueado
André Friedheim, presidente da ABF

Especialistas alertam também que é preciso tomar alguns cuidados com franquias de baixo valor. No caso das revendas de produtos, a recomendação é que você tenha uma empresa em seu nome, podendo ser MEI (microempreendedor individual). Formalizado, você terá alvará de funcionamento e conta bancária de pessoa jurídica (o que facilita o acesso a crédito e financiamentos) e poderá vender para outras empresas com a emissão de nota fiscal, além de garantir segurança jurídica e acesso a benefícios sociais, como Previdência Social.

Os escritórios do Sebrae-SP oferecem gratuitamente ao MEI serviços de abertura, alteração cadastral, declaração anual de faturamento e geração de boleto da contribuição mensal.

Veja abaixo as dicas da ABF do que considerar antes de apostar em uma franquia:

1) Avalie o seu perfil

Antes de tudo, você precisa se identificar com o negócio e o segmento de atuação, avaliando se realmente tem perfil para ser franqueado. A franquia deve combinar com o seu perfil e estilo de vida.

Franquia não é um investimento financeiro. Você deve se identificar com o negócio tanto como cliente quanto como empresário, e os valores da empresa devem estar alinhados aos seus
Adriana Auriemo, diretora de microfranquias da ABF

Você pode achar o negócio interessante, mas tem de ver se aquela rotina e suas atribuições estão alinhadas às suas expectativas, como ter de trabalhar de segunda a segunda, por exemplo.

2) Pesquise marcas

Após escolher um segmento de atuação, pesquise quais as franquias com modelos de negócios disponíveis. É possível pesquisar no site da ABF. Avalie a fundo ao menos cinco marcas.

Por mais que a franquia seja de pequeno porte e com baixo investimento, isso não exime o candidato de pesquisar muito antes de comprá-la. O franqueado deve conhecer bem as regras do jogo e tirar dúvidas.

Se você optar pela franquia digital no modelo home office, no qual o franqueado trabalha usando o computador, de qualquer lugar e com horário flexível, saiba que praticamente trabalhará sozinho.

Nesse tipo de franquia, o franqueado vende, compra, administra, capta clientes, enfim, é responsável por toda a operação
André Friedheim, presidente da ABF

3) Investigue o histórico do franqueador

A ABF recomenda pesquisar o histórico da marca, saber por quanto tempo a empresa operou o negócio antes de aderir ao franchising e a quantidade de unidades próprias.

Toda empresa precisa testar o modelo de negócio antes de iniciar a venda de franquias, para adquirir a experiência do dia a dia
André Friedheim, presidente da ABF

4) Veja se a franquia tem o selo da ABF

Outro critério de avaliação é checar se a franquia tem o Selo de Excelência em Franchising, da ABF. Concedido anualmente, ele é dado às empresas que se inscreveram para serem avaliadas por uma pesquisa. As empresas precisam ser associadas à ABF para fazer a inscrição.

Esse selo de excelência é um aval que a ABF dá, após fazer uma pesquisa nas empresas, para checar como estão funcionando
Adriana Auriemo, diretora de microfranquias da ABF

5) Leia atentamente a COF e analise todos os itens

De acordo com a lei que rege o mercado de franchising no país, a empresa deve disponibilizar ao interessado a Circular de Ofertas de Franquias (COF) pelo menos dez dias antes de o negócio ser fechado. Leia a COF e a lei de franquias. A circular traz as regras do jogo, definindo o papel das partes. É o raio-x da empresa.

É importante analisar uma série de itens da franquia, como taxa de instalação, gastos com estoque, marketing e treinamento e reserva de caixa, além de identificar custos embutidos no dia a dia.

Só vale comprar uma franquia se você estiver completamente seguro de que o "pacote" do franqueador contém todos os ingredientes necessários para ter sucesso no negócio, além do seu empenho pessoal.

Para avaliar a natureza do negócio e entender melhor a COF e o contrato de franquia, procure a assessoria de um advogado ou empresa especializada.

6) Converse com franqueados

Converse com ao menos dez atuais e ex-franqueados para saber como é a franquia na prática. Visite também suas unidades. A COF traz a lista dos atuais franqueados e dos que deixaram a empresa no último ano.

Você conseguirá ter uma visão bem real da vivência do negócio, pontos positivos e negativos no negócio. Isso é um termômetro para ver como a franquia opera no dia a dia
Adriana Auriemo, diretora de microfranquias da ABF

7) Estude o mercado e a concorrência

Verifique se a cidade onde você quer instalar a franquia tem, de fato, potencial para o novo negócio. Vale conversar com a associação comercial, gerentes do banco e prefeitura para entender a dinâmica daquela localidade.

É recomendado usar ferramentas de geomarketing, que irão ajudá-lo a escolher a localização ideal do ponto comercial, pois analisam o potencial de mercado.

Estudar seus concorrentes também é válido. Visite empresas do mesmo segmento da franquia em que tem interesse, para ver como elas atuam.

8) Não invista 100% do capital no negócio

Franquia não é só o investimento inicial. Por isso, a recomendação da ABF é não colocar todo o seu dinheiro no negócio.

Você precisará ter dinheiro para capital de giro e se manter durante os primeiros meses da empresa, além de contar com a sazonalidade do negócio e ter sempre uma reserva para emergências. Ou seja, prepare-se financeiramente.

9) Entenda a importância do capital de giro

Você deve entender a importância do capital de giro, que é um recurso para bancar a operação enquanto o negócio não se paga. O ideal é ter 50% a mais do investimento inicial para bancar a operação até o ponto de equilíbrio, que é quando a receita se iguala às despesas.

Segundo a ABF, nenhum negócio começa faturando com todo o seu potencial. Até lá, é preciso colocar capital na operação, além do que você já gastou no investimento inicial.

10) Aproveite o treinamento

O primeiro ano da franquia é um período de amadurecimento e aprendizado. A ABF recomenda que o franqueado participe dos treinamentos que o franqueador oferece e não tenha vergonha de perguntar e tirar dúvidas.

Você precisa se sentir parte da rede. Use e abuse do franqueador. Não tenha vergonha, vá atrás de conhecimento
André Friedheim, presidente da ABF

Invista constantemente em capacitação técnica e gestão de negócios nas áreas de marketing e vendas, de finanças e administração, entre outras.

Desafio do marshmallow ajuda a desenvolver empreendedores

UOL Notícias

Empreendedorismo