PUBLICIDADE
IPCA
0,25 Fev.2020
Topo

Intérpretes de Papai Noel podem receber até R$ 15 mil no Natal

Sílvio Ribeiro dá aulas de como ser Papai Noel - Arquivo pessoal
Sílvio Ribeiro dá aulas de como ser Papai Noel Imagem: Arquivo pessoal

Ricardo Marchesan

Do UOL, em São Paulo

23/12/2014 06h00

"Fico bravo quando me perguntam quanto o Papai Noel recebe", diz Sílvio Ribeiro, que dá aulas sobre como ser Papai Noel. "Por que não perguntam para o [médico] Drauzio Varella quanto ele ganha quando entrevistam ele?".

Vida de Papai Noel no Natal não é fácil e a remuneração varia bastante. Pode chegar a R$ 15 mil, segundo Ribeiro.

Mas isso é apenas uma parcela pequena, os que trabalham em shopping center ou participam de comerciais de TV, por exemplo. Esse valor é referente ao período todo de trabalho, que pode chegar a dois meses, e inclui benefícios, como transporte e alimentação, e sem desconto de impostos.

"Depois aparecem interessados no meu curso achando que é só ter barba que vão ganhar R$ 15 mil. Quando digo que alguma loja está contratando por R$ 1.200 para trabalhar seis a oito horas por dia durante duas semanas, desistem".

Ribeiro se intitula o Papai Noel mais antigo em atividade no Brasil. Ele começou há 47 anos, quando tinha 18, e nunca mais parou. Ele montou sua agência, a Claus Produções Artísticas, que ministra cursos desde 1976. Perdeu a conta de quantos alunos já teve, mas foram "pelo menos 1.200".

Os preços para contratar o serviço também são diversos. A Papai Noel e Cia, outra agência natalina, oferece 25 tipos de atração, desde a visita do bom velhinho até elaboradas produções cênicas, que podem custar de R$ 1.000 a R$ 7.000.

Crise atingiu mercado de Papai Noel

Em 2013, a Papai Noel e Cia fez 400 eventos antes do Natal e 180 nos dias 24 e 25. Esses números, porém, vão diminuir neste ano, afirma seu dono, Hélio Gerbas.

Gerbas se apresenta como Papai Noel e chegou a trabalhar 37 horas sem parar no Natal de 2013.

Segundo ele, a Copa do Mundo, as eleições e a expectativa de um 2015 difícil economicamente afetaram o setor. "Muitos condomínios de São Paulo cancelaram apresentações por causa da falta de água".

A retração no setor também foi sentida por Sílvio Ribeiro. "Neste ano, menos lojas e hipermercados estão contratando papais noéis para eventos, por causa da crise", afirma.

Jorge Occhiuzzio, dono da agência Papai Noel Brasil, não crê nisso. Ele prevê um crescimento de 20% a 30% de serviço para sua agência neste ano.

Economia