Bolsas

Câmbio

Site lista bombeiro, ator e piloto entre as profissões mais estressantes

Do UOL, em São Paulo

Bombeiro foi considerada a profissão mais estressante nos EUA em 2015, segundo levantamento do site de procura de empregos CareerCast.com. Entre a lista das dez mais também estão ator e piloto de avião, além de soldado.

Entre as profissões menos estressantes, a campeã foi cabeleireiro. A lista inclui também professor universitário e operador de empilhadeira, entre outros.

O levantamento é divulgado anualmente e analisa 200 profissões, levando em conta fatores como competitividade, esforço físico e risco de morte.

Confira abaixo a lista das dez profissões mais e menos estressantes e a pontuação recebida em cada uma.

 

Profissões mais estressantes

  1. Bombeiro - 71.59
  2. Soldado- 70.78
  3. General (militar) - 63.11
  4. Piloto de avião - 60.46
  5. Policial - 50.82
  6. Ator - 50.33
  7. Profissionais de rádio e TV - 50.30
  8. Coordenador de eventos - 49.93
  9. Fotojornalista - 49.22
  10. Repórter de jornal impresso - 48.76

 

Profissões menos estressantes

  1. Cabeleireiro - 5.47
  2. Fonoaudiólogo - 6.30
  3. Professor Universitário (titular) - 6.94
  4. Técnico de registros médicos - 7.55
  5. Joalheiro - 8.10
  6. Técnico de laboratórios médicos - 8.98
  7. Costureiro ou alfaiate - 9.56
  8. Nutricionista - 10.23
  9. Bibliotecário - 10.58
  10. Operador de empilhadeira - 11.43

 

Taxista e executivo sênior deixaram a lista

Na comparação com o ano anterior, bombeiro subiu duas posições. Em 2014, soldados eram os profissionais que sofriam mais estresse.

Em 2015, algumas profissões deixaram a lista das dez mais, como taxista, executivo de relações públicas e executivo sênior. No lugar, entraram ator, profissionais de rádio e TV e fotojornalista.

Na lista das menos estressantes, fonoaudiólogo tinha sido a primeira colocada em 2014 e cabeleireiro, a segunda.

 

Metodologia do levantamento considera trabalho em público e risco de morte

Para analisar o nível de estresse de uma profissão, a pesquisa leva em conta 11 fatores, como competitividade, esforço físico, cumprimento de prazos, trabalhar em público, condições do ambiente e risco de morte.

Cada fator tem uma pontuação específica, que é somada para determinar o nível de estresse da profissão.

O próprio site alerta que os resultados apenas refletem o nível de estresse típico de uma profissão, já que isso pode variar de acordo com cada pessoa, como as condições de trabalho na empresa, relação com colegas e chefes, entre outros.

São usados dados de agências do governo americano, associações de comércio e empresas privadas de pesquisa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos