ipca
-0,09 Ago.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Quer manter seu emprego? Responda a estas 15 questões e faça um check-up

Afonso Ferreira

Do UOL, em São Paulo

31/01/2018 04h00

Se você quer continuar empregado, é preciso sempre avaliar seu desempenho. Como na saúde, vale a pena também fazer um check-up anual em sua carreira. O objetivo é ver o que está funcionando e o que precisa ser corrigido.

José Augusto Minarelli, presidente da consultoria em transição de carreira Lens & Minarelli, diz que quem fica parado e não se atualiza perde espaço e vai para a periferia do mercado. Leia mais abaixo 15 perguntas que vão ajudá-lo a se avaliar.

Leia também:

Assim como podemos curar uma doença descoberta a tempo, na carreira, é possível corrigir uma deficiência antes que seja tarde e a pessoa perca o emprego porque não está saudável do ponto de vista profissional.

José Augusto Minarelli, da consultoria Lens & Minarelli

15 perguntas para se conhecer e se corrigir

Minarelli sugere as seguintes perguntas-chave e possíveis planos de ação:

  • 1 - Você está satisfeito com sua profissão ou ocupação atual?
  • 2 - Se tivesse oportunidade, trocaria de profissão ou ocupação? O que gostaria de fazer? Por quê?
  • 3 - Qual é seu grande sonho profissional ainda não realizado? Você tem esperança de conseguir realizá-lo? O que falta?

Possíveis ações: Investir em cursos ou conhecimentos em áreas que lhe tragam maior satisfação. Visualizar um cargo ou posição que queira ocupar, estabelecer um prazo para chegar lá e elencar o que terá de fazer para alcançar esse objetivo.

  • 4 - Em que você é realmente competente? Que contribuições ou benefícios você pode proporcionar a um empregador ou cliente?
  • 5 - Caso sua ocupação atual deixe de existir, que outra você se sente habilitado a desempenhar?
  • 6 - Propôs alguma mudança ou inovação significativa em seu trabalho? A sugestão foi aceita e implantada? Descreva a proposta e os resultados.

Possíveis ações: Atualizar conhecimentos em sua área de atuação. Listar e acompanhar tendências de mercado, novos recursos e fontes de informação que possam lhe afetar direta ou indiretamente.

  • 7 - Como vai sua saúde geral? Quais queixas você tem? Já pensou em consultar um especialista? Qual?
  • 8 - Pratica algum tipo de atividade física? Com ou sem orientação técnica? Qual é a frequência?
  • 9 - De quanto tempo você dispõe para fazer atividades não relacionadas ao trabalho, como ler, ir ao cinema ou brincar com os filhos?

Possíveis ações: Procurar um médico e verificar se suas queixas têm alguma relação com estresse. Começar um programa de exercícios ou condicionamento físico. Dar mais atenção à vida pessoal.

  • 10 - Você desenvolve alguma atividade paralela ao seu emprego atual, remunerada ou não? Qual(is)?
  • 11 - Tem alguma reserva financeira para emergência? Na falta do emprego, durante quantos meses conseguiria viver com suas economias?
  • 12 - Recebe alguma renda extra (aluguéis, aplicações)? Qual é o valor? Conseguiria sobreviver apenas com esse rendimento?

Possíveis ações: Fazer uma poupança para emergências. Procurar outras formas de complementar a renda. Investir ou aplicar parte do seu dinheiro para obter maior retorno financeiro.

  • 13 - Qual é a amplitude de sua rede de relacionamentos? Sua lista de contatos é grande e diversificada?
  • 14 - Você cultiva seus relacionamentos? De que maneira e com qual frequência?
  • 15 - Mantém um registro organizado de seus relacionamentos? Guarda cartões de visita, listagens e agendas em geral?

Possíveis ações: Reservar alguns minutos durante o dia para conversar descontraidamente com as pessoas que estão à sua volta. Aprender e praticar os procedimentos de networking.

Faça um plano de ação após o check-up

A autoavaliação de nada adiantará se não for feito um plano de ação, segundo Sergio Chnee, coach e autor do livro "Check-up de Carreira" (Ed. Évora).

Durante o processo de check-up da carreira, é preciso fazer a si mesmo perguntas sobre temas importantes, como competência profissional, rede de relacionamentos e reservas financeiras.

É preciso escrever as respostas num papel e fazer uma lista de prioridades de curto, médio e longo prazo, diz Chnee. Nessa lista, os três primeiros itens do curto prazo não podem ser deixados de lado enquanto não forem concluídos.

"Só de adotar esse comportamento, o profissional já terá um ganho na carreira. Além disso, é importante estabelecer prazos para todas as metas, e acompanhar se eles estão sendo cumpridos", afirma.

O especialista diz que é preciso ser honesto consigo mesmo para que a autoavaliação funcione. Segundo ele, muitas pessoas não assumem que têm deficiências e, por isso, não conseguem corrigir o rumo de suas carreiras.

A autossabotagem é um dos maiores problemas na hora de fazer um check-up de carreira. É preciso aceitar os próprios defeitos e procurar sair da zona de conforto.

Sergio Chnee, coach e autor

Dar feedback é como fazer um sanduíche; entenda

Mais Economia