Bolsas

Câmbio

Brasil tem menor número de trabalhadores com carteira assinada em 6 anos

Do UOL, em São Paulo

O número de empregados com carteira assinada no Brasil caiu no primeiro trimestre e atingiu o menor nível em seis anos, desde o início da série histórica, em 2012, segundo dados divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (27).

Nos três primeiros meses do ano, o país tinha 32,913 milhões de pessoas com carteira assinada. Significa que foram fechados 408 mil postos de trabalho com carteira entre o quarto trimestre e o início deste ano. No período de um ano, a perda foi maior, de 493 mil vagas formais.

Leia também:

Os números do IBGE não consideram trabalhadores domésticos. Eles fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua. A pesquisa não usa só os trimestres tradicionais, mas períodos móveis (como fevereiro, março e abril, março, abril e maio etc.).

Desde que a pesquisa começou a ser feita, o auge do emprego com carteira assinada foi registrado em junho de 2014 (36,88 milhões de vagas). De lá pra cá, o país perdeu quase 4 milhões de vagas com carteira assinada.

305 mil vagas fechadas desde a reforma

Um dos principais argumentos do governo do presidente Michel Temer para aprovar a reforma trabalhista era que as mudanças na legislação aumentariam o emprego, sobretudo os com carteira assinada.

O então ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, chegou a dizer que a reforma poderia tirar 45 milhões de pessoas da informalidade.

A nova legislação entrou em vigor em novembro. De lá pra cá, foram fechadas 305 mil vagas com carteira assinada.

Desemprego é de 13,1%

O desemprego no país foi de 13,1%, em média, no primeiro trimestre, a maior taxa desde maio do ano passado, de acordo com o IBGE. O número de desempregados no período foi de 13,7 milhões de pessoas.

Metodologia da pesquisa

Os dados fazem parte da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua. São pesquisadas 211.344 casas em cerca de 3.500 municípios. O IBGE considera desempregado quem não tem trabalho e procurou algum nos 30 dias anteriores à semana em que os dados foram coletados.

Existem outros números sobre desemprego apresentados pelo Ministério do Trabalho, com base no Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Os dados são mais restritos porque consideram apenas os empregos com carteira assinada.

A rotina dos vendedores de mate nas praias do Rio

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos