ipca
0,48 Set.2018
selic
6,5 19.Set.2018
Topo

Bancos já antecipam o 13º salário; veja se vale a pena pegar o empréstimo

Alex Almeida/Folha Imagem
Imagem: Alex Almeida/Folha Imagem

Fernanda Santos

Colaboração para o UOL, em Florianópolis (SC)

31/05/2018 04h00

Ainda está longe do fim do ano, mas já é possível antecipar o 13º salário com os grandes bancos do país. Algumas instituições emprestam até 100% do valor que será recebido pelo trabalhador, podendo chegar a R$ 50 mil, dependendo do banco. As taxas mínimas de juros mensais variam entre 1,99% a 3,19%.

O adiantamento do 13º salário é uma das linhas de crédito mais baratas disponíveis no mercado, pois os bancos entendem que é um dinheiro mais fácil de receber de volta na comparação com outros empréstimos, afirmou Rogério Nakata, que é planejador financeiro certificado pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Leia também:

Como o 13° é um direito dos trabalhadores formais, as empresas têm um prazo máximo para pagá-lo aos seus funcionários. Ao receber a quantia, no fim do ano, o devedor poderá, então, quitar a dívida com a instituição financeira. Essa segurança faz os juros cobrados serem mais baixos.

Ainda assim, os especialistas indicam que quem quiser pegar esse empréstimo pesquise para encontrar as melhores condições e apenas contrate em caso de necessidade.

Veja as opções e cuidados:

Banco do Brasil

  • Juros: a partir de 2,89% ao mês
  • Valor: até 80% do 13º salário, com limite de R$ 20 mil
  • Quem pode contratar: clientes que recebem salário pela conta no Banco do Brasil
  • Prazo: empréstimo disponível o ano todo
  • Canais para contratação: internet banking, aplicativo Banco do Brasil (disponível para iPhone e Android), caixas eletrônicos, agências e Correspondentes BB

Caixa Econômica Federal

  • Juros: a partir de 3,19% ao mês
  • Valor: até 90% do 13º salário, com limite de R$ 20 mil
  • Quem pode contratar: clientes que recebem salário pela conta na Caixa e estão empregados há, no mínimo, 12 meses. Ou aposentados/pensionistas permanentes do INSS que recebem o benefício pela Caixa
  • Prazo: empréstimo disponível o ano todo
  • Canais para contratação: agências

Itaú Unibanco

  • Juros: a partir de 3,13% ao mês
  • Valor: até 100% do 13º salário, com máximo de R$ 5.000 para clientes Varejo e Uniclass e R$ 10 mil para clientes Personnalité
  • Quem pode contratar: correntistas pré-aprovados pelo banco
  • Prazo para contratação: até 31 de outubro
  • Canais para contratação: internet banking, aplicativo Itaú (disponível para iPhone e Android), caixas eletrônicos e agências

Santander

  • Juros: a partir de 1,99% ao mês
  • Valor: até 100% do 13º salário (não há um valor máximo pré-estipulado)
  • Quem pode contratar: clientes que recebem salário pela conta no Santander
  • Prazo: até 14 de dezembro
  • Canais para contratação: internet banking, caixas eletrônicos, Central de Atendimento e agências Santander

Bradesco

  • Taxa de juros: a partir e 1,99% ao mês
  • Valor: até 100% do 13º salário, com valor máximo de R$ 50 mil
  • Quem pode contratar: clientes que recebem salário pela conta no Bradesco ou aposentados e beneficiários do INSS
  • Prazo: até 31 de outubro
  • Canais para contratação: agências e aplicativo Bradesco (disponível para iPhone e Android)

Vale a pena antecipar o 13º salário?

Pegar esse empréstimo com o banco vale a pena em casos de emergência, como problemas de saúde, ou para quem tem dívidas e está pagando taxas de juros mais elevadas que as cobradas para antecipar o 13º salário, declarou Nakata.

Alguns exemplos de linhas de crédito que têm taxas mais altas são o cheque especial, com juros próximos aos 324,7% ao ano, e o rotativo do cartão de crédito - cujas taxas estavam em 334,5% no mês de março, segundo dados do Banco Central.

Quais cuidados tomar?

Organize as finanças

Antes de contratar um empréstimo no banco, a recomendação é organizar as finanças e ver se é possível reduzir ou cortar despesas. O empréstimo deve ser o último recurso para deixar as contas em dia, disse Nakata.

Para Bruno Poljokan, diretor da plataforma de empréstimos online Just, a pessoa deve estar ciente de que pagará juros para ter esse dinheiro antecipado. “Ela tem de saber se o empréstimo é de fato uma necessidade. Está precisando pagar uma dívida que é mais cara? Tem algum problema de saúde? Ou só está antecipando por antecipar?”, questionou.

Pesquise as melhores taxas

Se, após organizar os gastos, você concluir que o empréstimo é a única saída para resolver o problema financeiro, será hora de fazer uma boa pesquisa. No caso da antecipação do 13º salário, só será possível recorrer aos bancos onde você tem conta. A indicação, então, é procurar saber todos os juros, prazos e valores oferecidos.

Considere outros tipos de empréstimo

O crédito consignado com desconto em folha de pagamento e o empréstimo imobiliário com garantia do imóvel também são linhas de crédito com juros mais baixos. Porém, Nakata aconselhou que o consumidor tenha muito cuidado ao dar um imóvel como garantia do empréstimo, pois, se a dívida não for paga, ele perderá seu bem.

Poljokan afirmou ainda que os bancos não são a única opção para contratar crédito. Hoje, diversas fintechs e plataformas de empréstimo online oferecem empréstimos (não necessariamente atrelados ao 13°) a juros que variam entre 1,5% e 2%.

Tente negociar com o banco

Se optar mesmo por antecipar o 13º salário pelo banco, Nakata recomendou que o cliente negocie as melhores condições de juros e prazos. “Valorize o relacionamento que possui com a instituição atual e use isso como moeda de negociação no momento da tomada do empréstimo”, disse.

Atenção com os juros

Ao calcular os juros a serem pagos pelo empréstimo, é preciso considerar o Custo Efetivo Total (CET) --que inclui juros, encargos financeiros e outras taxas. É importante checar também se os prazos e parcelas estão de acordo com suas possibilidades financeiras.

Se não sabe responder a estas 5 questões, será muito difícil ficar rico

UOL Notícias

Newsletters

Receba dicas para investir e fazer o seu dinheiro render.

Quero receber

Mais Economia