IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Investimentos


Preocupado com a Previdência? Saiba como se aposentar com Tesouro Direto

Téo Takar

Do UOL, em São Paulo

04/04/2019 04h00

Você sabe como acumular dinheiro para garantir uma aposentadoria confortável usando os títulos públicos do Tesouro Direto? Aprenda a combinar o tipo certo de título com o prazo que você tem até parar de trabalhar.

O país discute fazer uma reforma da Previdência e pode ficar mais difícil se aposentar pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Por isso, é importante se organizar para garantir uma renda extra na velhice e depender menos da Previdência Social.

O Tesouro Direto é uma opção interessante para juntar dinheiro para a aposentadoria por ser um investimento simples, que você mesmo administra. Há uma boa variedade de títulos de longo prazo, e as taxas de juros são atraentes se comparadas ao rendimento da maioria dos planos de previdência privada oferecidos pelos bancos.

Antes, é preciso conhecer as características de cada título para saber quais são os mais adequados para acumular renda para a velhice.

Quais são os títulos disponíveis?

Há basicamente três tipos de títulos públicos:

  • Tesouro Selic (antiga LFT): Tem rendimento pós-fixado, ou seja, rende um pouquinho todo dia, com base na taxa Selic, que hoje está em 6,5% ao ano
  • Tesouro prefixado (antigas LTN e NTN-F): O rendimento é prefixado, você sabe na hora da compra quanto vai receber de juros no vencimento
  • Tesouro IPCA+ (antiga NTN-B): Sofre correção pela inflação medida pelo IPCA e paga mais uma taxa de juros, que também é conhecida no momento da compra.

No caso do Tesouro prefixado e do Tesouro IPCA+, os títulos têm outras duas subdivisões:

  • Com juros semestrais: Os juros são pagos ao investidor a cada seis meses
  • Sem juros semestrais (também chamado de Principal): Os juros se acumulam e são pagos somente no vencimento

Qual tipo de título escolher para a aposentadoria?

O Tesouro IPCA+ sem pagamento de juro semestral, também conhecido como NTN-B Principal, é o título mais indicado para quem deseja acumular recursos para a aposentadoria.

"É um papel de longo prazo cuja principal vantagem é garantir a reposição da inflação ao longo do tempo independentemente do que aconteça, ou seja, ele preserva o poder de compra. Além disso, ele paga uma taxa de juros real [acima da inflação] muito boa, hoje na casa dos 4% ao ano", disse Carlos Castro, planejador financeiro certificado pela Planejar (Associação Brasileira de Planejadores Financeiros).

Qual prazo de vencimento escolher?

Atualmente, o Tesouro Direto dispõe de três prazos de vencimento para títulos do tipo Tesouro IPCA+ sem juro semestral: 2024, 2035 e 2045. Ou seja, você pode escolher entre um papel que vencerá daqui a cinco anos, outro que vencerá em 16 anos e um terceiro com vencimento em 26 anos.

"O ideal é você combinar o vencimento do título com a expectativa que você tem de se aposentar", disse Castro.

Se você vai se aposentar daqui a 30 anos, a escolha é relativamente simples: compre o papel com o vencimento mais longo disponível, que é o Tesouro IPCA+ 2045. Se a sua previsão de aposentadoria é daqui a 20 anos, você precisará fazer uma combinação entre os títulos disponíveis mais próximos desse prazo: 2035 e 2045.

"Vai precisar fazer um mix. Investir um pouco no título de 2035, que vai garantir a sua renda por seis anos, entre a aposentadoria [em 2039] e o vencimento do outro título [em 2045], e o restante aplicar no título que vence em 2045", afirmou Castro.

A mesma lógica vale para quem vai se aposentar daqui a dez anos. Nesse caso, seu investimento deve ser distribuído entre os títulos com vencimento em 2024 e 2035.

Quanto da minha renda devo investir?

Segundo os especialistas, não há um "número mágico". Eles recomendam que você separe entre 10% e 20% da renda atual para montar sua previdência. Conforme sua renda aumentar, mantenha a mesma parcela para essa finalidade.

Quanto antes você começar, mais tempo terá para acumular. Dessa forma, o seu esforço ao longo da vida será menor, e o volume acumulado na aposentadoria, maior.

Por outro lado, se você decidir juntar dinheiro apenas a partir dos 50 anos, terá que destinar praticamente metade da renda, e ainda corre o risco de ver seu padrão de vida cair na aposentadoria.

Saiba como investir em títulos públicos usando o Guia de Economia do UOL.

Gostou deste texto? Assine a newsletter UOL Investimentos para receber informações como esta em primeira mão no seu email.

Mais Investimentos